Menu

Clinica Veterinária

Início Notícias Entidades Conselhos CRMV-SP Comissões técnicas do CRMV-SP atuam na orientação dos profissionais
CRMV-SP

Comissões técnicas do CRMV-SP atuam na orientação dos profissionais

Campanhas, manuais e eventos técnicos promovem educação continuada

Matéria escrita por:

Clínica Veterinária

1 de fev de 2024

Grupo de Apoio Mútuo “Cuidando de quem cuida”. Créditos: CRMV-SP Grupo de Apoio Mútuo “Cuidando de quem cuida”. Créditos: CRMV-SP

Com o dinamismo inerentes à medicina veterinária e à zootecnia, a constante atualização é vital para o desenvolvimento profissional nessas áreas. No ano em que celebra seus 55 anos, o Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP) têm reafirmado seu compromisso com a excelência profissional por meio de iniciativas promovidas por suas 27 comissões técnicas.

Além de possibilitar uma gestão participativa, como abordado na edição 168, as comissões têm de destacado como pilares fundamentais na orientação e na educação continuada dos profissionais ao conduzir campanhas, produzir manuais e guias, e organizar eventos técnicos.

As iniciativas, além de incentivarem as boas práticas e o aprimoramento técnico, demostram a sinergia que há entre as demandas profissionais de mercado e a instituição. Além de informar e promover a atualização, as comissões técnicas têm fomentado a troca de experiências, o engajamento e o desenvolvimento de habilidades humanísticas, as conhecidas soft skills.

No ano passado, foram 35 eventos técnicos on-line e dois presenciais promovidos pelas comissões do CRMV-SP, com a participação de cerca de 3.500 profissionais. Além disso, três materiais orientativos foram elaborados sobre temas como a estrutura dos estabelecimentos médico-veterinários, a destinação de resíduos e a participação em chamamentos públicos. Para 2024 algumas ações também estão programadas.

É por meio desse diálogo contínuo e dessa troca de saberes que construímos um futuro sólido e promissor para a medicina veterinária e a zootecnia em São Paulo. Que os 55 anos do CRMV-SP não apenas celebrem suas conquistas passadas, mas também inspirem uma nova era de colaboração, inovação e excelência na prática veterinária. Juntos, construímos um legado que transcende o tempo e impulsiona as profissões rumo a novos horizontes de sucesso”, afirma o presidente do CRMV-SP, Odemilson Donizete Mossero.

Conversamos com os presidentes de mais cinco comissões técnicas para saber um pouco mais sobre o trabalho que vêm desenvolvendo. As iniciativas dessas e de outras comissões são encontradas no site do CRMV-SP: www.crmvsp.gov.br onde é possível conhecer os componentes e as ações desenvolvidas pelos demais grupos que integram a gestão.

 

Acolhimento e preparo para a gestão

A Comissão de Responsabilidade Técnica do CRMV-SP, liderada pela médica-veterinária, zootecnista e pesquisadora, Rosemary Viola Bosch, têm sido um dos grupos mais ativos da gestão da autarquia.

­

Rosemary Viola Bosch. Créditos: CRMV-SP

­

Durante o janeiro branco, período que há 10 anos movimenta as ações voltadas ao cuidado com a saúde mental, a comissão iniciou um projeto inédito para auxiliar médicos-veterinários e zootecnistas no autocuidado e na prevenção de síndromes laborais.

O Grupo de Apoio Mútuo “Cuidando de quem cuida”  (https://crmvsp.gov.br/crmv-sp-cria-grupo-de-apoio-mutuo-para-medicos-veterinarios/) reuniu profissionais em um primeiro encontro presencial na sede do CRMV-SP, em São Paulo, e tem sessões programadas para todo o ano com vagas abertas e gratuitas. “Este é o pontapé inicial e já aprovamos eventos itinerantes a serem levados para os profissionais do interior. Estamos com uma equipe motivada de alma e coração para fazer do CRMV-SP o lugar em que médicos-veterinários e zootecnistas sintam-se sempre acolhidos quando precisarem. Estamos de portas abertas!”, afirma Rosemary.

­A Comissão também tem programação para eventos técnicos mensais para 2024. Entre os temas para esse ano estão a responsabilidade técnica em rotulagem de alimentos, equideocultura, unidades de vigilância em zoonoses, instituições de ensino, e checklist para treinamento e preparo da equipe para momentos de fiscalização. O primeiro evento acontece no dia 28 de fevereiro e a abordará o papel do responsável técnica em daycare e hotel para pets.

O grupo já realizou dois ciclos de palestras sobre responsabilidade técnica e gestão de diferentes tipos de estabelecimentos médico-veterinários e áreas de atuação, todas disponíveis no canal do Youtube do Conselho (https://www.youtube.com/channel/UCvkmrV962BPeHX_bdkp0rxg/videos). E a tendência, conta Rosemary, é aprimorar cada vez mais os eventos, agora com a chegada de novos integrantes para compor a comissão, como Thaís Vieira Machado Bertozzi, médica-veterinária especializada em gestão estratégica, diretora de hospital e perita; e Rosália Regina de Luca, a primeira médica-veterinária responsável técnica em um biotério no Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo, e que ocupa a cadeira de nº 19, como patronesse, da recém-fundada Academia Brasileira de Ciência de Animais de Laboratório.

Para acompanhar a programação e se inscrever para os eventos há o link https://crmvsp.gov.br/agenda/ no qual se pode encontrar a programação completa dos eventos.

 

Nutrição Responsável

Formada por professores e profissionais atuantes no mercado de Nutrição de Animal, a Comissão Técnica de Nutrição do CRMV-SP tem desempenhado um papel crucial na disseminação do conhecimento sobre a importância do equilíbrio e do cuidado nutrição para o bem-estar e a saúde dos pets.

Liderada pelo médico-veterinário, mestre em nutrição e alimentação animal, e integrante dos Comitês Técnicos e Científicos da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet) e do Colégio Brasileiro de Nutrição Animal, Yves Miceli de Carvalho, a comissão têm desenvolvido nos últimos anos a campanha “Nutrição responsável”.

­

Yves Miceli de Carvalho. Créditos: CRMV-SP

­

“Esta campanha visa instruir médicos-veterinários e zootecnistas sobre a formulação de dietas específicas, levando em consideração as necessidades nutricionais de cada espécie, idade, atividade física e estado de saúde do animal. É fundamental que os profissionais tenham embasamento técnico e científico para prescrever dietas adequadas aos pacientes”, ressalta o presidente da comissão.

Além disso, a iniciativa busca conscientizar sobre a importância de seguir padrões científicos na prescrição, evitando formulações sem embasamento. A iniciativa também abrange aspectos sociais, com a orientação aos tutores sobre a importância de uma dieta adequada e equilibrada para seus animais de estimação.

O desdobramento da campanha inclui uma nova etapa de divulgação, iniciada no final de janeiro, em parceria com empresas do setor privado. Esta fase visa educar os profissionais sobre condutas de armazenamento, estocagem de produtos, higiene e controle de pragas nos ambientes de fabricação e venda de alimentos para animais, bem como nos ambientes intermediários, como centrais de distribuição. “Essa colaboração busca melhorar a qualidade e segurança dos produtos, beneficiando toda a cadeia envolvida, desde a produção até o consumidor final”, pondera Yves Miceli de Carvalho.

Marcado para o dia 29 de fevereiro e em breve com as inscrições abertas, um evento integrará a campanha “Nutrição responsável” oferecendo conteúdo específico sobre a prevenção e controle de infestações por insetos em produtos acabados, e informações valiosas para os profissionais lidarem com questões de sazonalidade e perfil de produto estocado em seus locais de trabalho, assim como orientarem os tutores sobre as melhores práticas de armazenamento em casa.

Saiba mais sobre a campanha “Nutrição responsável” em https://crmvsp.gov.br/nutricao-responsavel/ .

 

Abrangência internacional

Na medicina veterinária, a homeopatia faz parte do tratamento clínico de animais de companhia, como os cães e gatos, dos de produção e de equinos. Uma das primeiras especialidades reconhecidas pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) nos anos 2000, a homeopatia ainda encontra um cenário carente de compreensão sobre seu embasamento científico não apenas do cidadão comum, mas também entre os profissionais.

A Comissão de Homeopatia Veterinária do CRMV-SP, sob a liderança da médica-veterinária e integrante da Associação Médico-Veterinária Homeopática Brasileira (AMVHB), Talita Nader, tem desempenhado um papel fundamental na ampliação das discussões sobre homeopatia veterinária, disseminando o conhecimento sobre o respaldo técnico e científico para suas práticas. “É essencial desmistificar mitos e apresentar a eficácia científica por trás dessa terapêutica e apresentar para os colegas a eficácia, a eficiência e todo o respaldo científico”, afirma a presidente do grupo.

­

Talita Nader. Créditos: CRMV-SP

­

Um dos marcos recentes do trabalho da comissão foi um webinar internacional realizado em dezembro, que reuniu especialistas de diferentes partes do mundo para discutir avanços e pesquisas relacionadas à homeopatia veterinária. Palestrantes da Áustria, do México e do Brasil, como a renomada dra. Leoni Bonamin – pesquisadora que também integra a Comissão Técnica de Homeopatia do CRMV-SP, compartilharam conhecimentos sobre a aplicação da homeopatia em diversos contextos, incluindo organismos aquáticos, destacando seu papel na saúde única e na preservação ambiental.

A “Semana da Homeopatia Veterinária” também foi destaque no ano passado e deve retornar na programação desse ano. A homeopatia, por sua natureza livre de agentes tóxicos e resíduos, emerge como uma solução importante para desafios de saúde pública e ambiental. A Comissão de Homeopatia do CRMV-SP tem trabalhado no calendário de palestras para 2024 não apenas visando a formação técnica, mas também na educação e conscientização sobre os benefícios dessa prática. “Além dos benefícios individuais, a homeopatia pode trazer vantagens globais para a saúde humana, animal e ambiental”, afirma Talita.

Todas as palestras e o webinar internacional foram gravadas e estão disponíveis no canal do CRMV-SP no Youtube (https://www.youtube.com/channel/UCvkmrV962BPeHX_bdkp0rxg/videos).

 

Avanços éticos e profissionais

No contexto da pesquisa científica, a utilização de animais de laboratório desempenha um papel crucial no progresso do conhecimento e no desenvolvimento de novas terapias e tratamentos. Com o objetivo de assegurar a condução ética e responsável dessas práticas, a Comissão de Ciência de Animais de Laboratório, cuja presidente é a médica-veterinária Luciana Cintra, que coordena o Centro de Estudos Pré-clínicos e o Centro de Treinamento em Cirurgia do Hospital Albert Einstein, tem concentrado esforços na promoção de condutas éticas, capacitação profissional e no reconhecimento da especialidade em ciência de animais de laboratório.

­

Luciana Cintra. Créditos: CRMV-SP

­

Consciente da importância de padrões éticos robustos, a comissão desenvolveu um código de conduta ética, previsto para publicação ainda em 2024. “Esse documento orienta médicos-veterinários e zootecnistas em suas condutas profissionais, reforçando a cultura de cuidado e responsabilidade na pesquisa com animais de laboratório, elevando a confiança do público na área”, destaca Luciana.

Além do código de conduta, a comissão investe em iniciativas educacionais para aprimorar habilidades práticas e comportamentais. Cursos abrangem temas relevantes e desenvolvem habilidades interpessoais essenciais para uma atuação profissional com inteligência emocional.

Em 2024, o grupo intensifica suas relações com a Sociedade Brasileira de Ciência de Animais de Laboratório, de forma a apoiar a criação da especialidade em ciência de animais de laboratório. “Essa iniciativa representaria um reconhecimento oficial aos médicos-veterinários e zootecnistas que dedicam suas carreiras a essa área específica, eleva o status das profissões, mas também evidencia o compromisso em promover o avanço ético e profissional na pesquisa com animais de laboratório no Brasil”, pondera a presidente da Comissão do CRMV-SP.

Também já estão aprovados três eventos técnicos, ainda no primeiro semestre, evidenciando temas como o refinamento em protocolos experimentais, a gestão de conflitos éticos e não-éticos na atuação profissional, e o papel de médicos-veterinários e zootecnistas na gestão de biotérios. O primeiro encontro acontece no dia 21 de fevereiro e em breve as inscrições estarão abertas pelo site do CRMV-SP (https://crmvsp.gov.br/agenda/). “Queremos assegurar que a condução das pesquisas seja ética, responsável e esteja em conformidade com os mais elevados padrões de qualidade, no desenvolvimento de projetos relevantes para a saúde humana, animal e ambiental”, afirma a presidente da Comissão.

 

Medicina veterinária legal em expansão

A medicina veterinária legal (MVL) tem ganhado destaque desde a instituição das primeiras comissões pelo Sistema CFMV/CRMVs, em 2014. Uma das pioneiras, a Comissão do CRMV-SP, liderada pela médica-veterinária e perita judicial, Tália Missen Tremori, reúne profissionais que atuam em diversas vertentes, como perícia criminal, perícia cível, docência e pesquisa. O objetivo do grupo têm sido o de promover discussões relacionadas a justiça e a ética, e em prol do bem-estar animal, saúde única e ética na prática médico-veterinária.

­

Tália Missen Tremori. Créditos: CRMV-SP

­

“Temos desenvolvido atividades que visam orientar e capacitar os profissionais, tanto de forma preventiva, quanto em situações de demandas envolvendo animais e produtos de origem animal”, destaca Tália.

As iniciativas incluem treinamentos, participação em eventos e a elaboração de materiais técnicos que contribuam para a atuação responsável do médico-veterinário.

Em 2023, integrantes da comissão ministraram palestras em eventos promovidos pelo CRMV-SP, abordando temas como a fiscalização de estabelecimentos agropecuários e a perícia médico-veterinária em ocorrências criminais. O intuito é fornecer orientações práticas para a execução de perícias, exames e laudos, contribuindo com a Justiça e o andamento processual.

Um desses momentos ocorreu durante o evento que firmou a parceria entre o CRMV-SP e a Departamento de Polícia Judiciária de São Paulo Interior de Sorocaba (https://crmvsp.gov.br/crmv-sp-consolida-parceria-inedita-com-deinter-7-para-combate-a-maus-tratos-contra-animais-e-prevencao-ao-exercicio-ilegal-da-medicina-veterinaria-e-da-zootecnia/), em que foi ministrada a palestra “A perícia médica-veterinária em ocorrências criminais – orientações, condutas e perspectivas” para médicos-veterinários, peritos oficiais, delegados e outros profissionais da segurança pública e dos municípios da região.

A comissão também responde a questionamentos relacionados à medicina veterinária legal, especialmente sobre crimes de maus-tratos aos animais e proteção do médico-veterinário. Um manual está sendo elaborado com orientações voltadas ao profissional, visando estabelecer recursos de segurança para evitar processos e proceder em situações complexas.

A programação para 2024 da comissão inclui participação em eventos da área e mesas-redondas para orientar estudantes e profissionais sobre a atuação na medicina veterinária legal e a importância da perícia em ocorrências cíveis, criminais e administrativas. Um dos eventos planejados é uma mesa-redonda na Universidade de São Caetano do Sul (USCS), em 5 de fevereiro de 2024, além de um encontro das comissões da região sudeste no segundo semestre, para alinhar assuntos e trocar experiências.