Edições Anteriores

Edição N. 58

setembro/outubro - Ano X,2005

Clínica médica

Autor(es): Milena de Paiva Cavalcanti ; Maria Aparecida da Gloria Faustino, Leonildo Bento Galiza da Silva, Leucio Câmara Alves


Aspectos clínicos das dermatopatias infecciosas e parasitárias em cães com diagnóstico presuntivo de leishmaniose visceral

O objetivo deste estudo foi verificar a associação entre a sintomatologia e as dermatites fúngica, provocada por ácaros, e bacteriana em cães com diagnóstico presuntivo de leishmaniose visceral. Para tanto, 50 cães foram avaliados. Os animais foram submetidos a testes, ELISA e IFI, exame parasitológico para diagnóstico da leishmaniose, raspados cutâneos para pesquisa de ácaro e análise micótica, e swab cutâneo para análise bacteriana. As alterações mais freqüentes nos animais portadores de leishmaniose foram alopecia e ferida. O sintoma predominante nos animais com dermatomicoses foi a alopecia. Feridas, alopecia e emagrecimento foram constatados nos cães cujo diagnóstico apontou demodicose. A presença de feridas foi a principal alteração nos casos de piodermite. Diagnósticos diferenciais e confirmações laboratoriais são importantes para o estabelecimento da conduta terapêutica eficaz.

Unitermos: Cão, dermatopatias, leishmaniose visceral


Oncologia

Autor(es): Sara Maria de Carvalho e Suzano ; Renée Laufer Amorim, Enio Pedone Bandarra, Juliany Gomes Quitzan


Oligodendroglioma medular em cão: relato de caso

Os oligodendrogliomas são neoplasias de origem glial que acometem o sistema nervoso central dos cães. Essas neoplasias apresentam maior incidência nos hemisférios cerebrais, principalmente no lobo frontal e no diencéfalo e, mais raramente, são primárias da medula espinhal. O presente trabalho relata o caso de um cão macho, adulto, com acentuada claudicação no membro anterior direito e intensa sensibilidade na região cervical. À necropsia notou-se a presença de um aumento de volume pouco delimitado na medula cervical entre a C5 e a C6. As avaliações histopatológica e imunohistoquímica (vimentina + , S100 + e GFAP -) da neoplasia foram compatíveis com oligodendroglioma de origem medular.

Unitermos: Cão, medula espinhal, oligodendroglioma


Anestesiologia

Autor(es): Renata Navarro Cassu ; Mônica de Oliveira Cordeiro, Evelyn Rodenas


Avaliação do efeito sedativo e da dose de indução anestésica do propofol sob diferentes medicações pré-anestésicas em gatos

A dose do propofol para indução anestésica foi avaliada em gatos, após tranqüilização com maleato de acepromazina isolada (Gacep), ou em associação ao tartarato de butorfanol (Gacep/but) ou cloridrato de tramadol (Gacep/trama). Foram avaliados: freqüência e ritmo cardíaco, freqüência respiratória, grau de sedação e período de recuperação. Não houve diferenças significantes, quanto ao período de recuperação, à dose média de indução anestésica do propofol e às variáveis cardiorrespiratórias entre os grupos. A sedação foi menos satisfatória para o grupo Gacep/trama. Os resultados obtidos sugerem que a associação dos analgésicos opióides não possibilitou a redução da dose de indução do propofol em gatos, e também não melhorou a qualidade de sedação em relação ao uso isolado da acepromazina.

Unitermos: Gato, opióides, propofol


Clínica médica

Autor(es): Maria Cristina Nobre e Castro


Prolongando a vida do paciente com insuficiência renal crônica

A insuficiência renal crônica (IRC) é uma afecção freqüentemente diagnosticada em cães e gatos, principalmente nos mais idosos. Devido ao caráter lento e progressivo das lesões e à capacidade de reserva funcional dos rins, o paciente poderá se manter assintomático ou compensado por muito tempo. Quando o diagnóstico é realizado tardiamente as manifestações clínicas são graves e o paciente corre risco de morte. O presente estudo descreve os mecanismos fisiopatológicos que contribuem para a progressão da IRC e enfatiza a necessidade do diagnóstico precoce desta afecção, além de abordar as possibilidades terapêuticas para prolongar, com qualidade, a vida do paciente portador de insuficiência renal crônica. O manejo dietético, o tratamento da anemia, a hipertensão, o hiperparatireoidismo renal secundário, o desequilíbrio hídrico-eletrolítico e outras alterações como gastrite são abordados. A insuficiência renal crônica tem evolução progressiva mas, se submetidos ao tratamento adequado muitos cães e gatos podem viver bem por meses ou anos.

Unitermos: Diagnóstico, tratamento, insuficiência renal crônica


Dermatologia

Autor(es): Samuel das Neves Cavalcanti ; Selene Dall Acqua Coutinho


Identificação e perfil de sensibilidade antibacteriana de Staphylococcus spp isolados da pele de cães sadios e com piodermite

As piodermites são algumas das principais doenças bacterianas do tegumento canino, e são as enfermidades dermatológicas que ocorrem com maior freqüência. O presente estudo teve como objetivos isolar e identificar Staphylococcus spp, a partir de amostras obtidas por zaragatoas de 22 cães sadios e 21 com piodermite, e determinar o seu perfil de sensibilidade in vitro a 14 antibacterianos. Também foi testada a produção da enzima b-lactamase nas cepas isoladas. As amostras foram semeadas em caldo BHI, ágar sangue e “Mannitol Salt Agar”. Isolaram-se bactérias do gênero Staphylococcus em 90,9% dos animais sadios e em 95,2% daqueles acometidos por piodermite. O S. intermedius foi a espécie mais encontrada (40,0% e 80,0% respectivamente). As drogas antibacterianas mais efetivas foram amoxicilina associada ao ácido clavulânico, cefalexina, cloranfenicol e gentamicina, e a penicilina foi a que apresentou maior índice de resistência. A produção da enzima b-lactamase foi detectada em 41,9% das cepas de Staphylococcus spp estudadas.

Unitermos: Cães, pioderma, flora, Staphylococcus sp, antibiograma


Saúde pública

Autor(es): Flavya Mendes-de-Almeida ; Rita Leal Paixão, Norma Vollmer Labarthe


Superpopulação de gatos domésticos (Felis catus Linnaeus, 1758) urbanos - compreender para controlar

Há poucos anos a medicina veterinária brasileira voltou suas atenções para o bem-estar das comunidades animais mantidas no país. Nesse movimento moderno e globalizado somos aprendizes recentes e, portanto, o intercâmbio de experiências e informações faz-se imprescindível. Nesse contexto, colocar as populações de gatos urbanos em perspectiva é fundamental para a compreensão dos problemas advindos da superpopulação bem como para o delineamento de medidas de controle que fomentem o bem-estar animal. Por essa razão, decidiu-se apresentar uma revisão comentada do cenário internacional, privilegiando informações sobre a organização social das colônias, as taxas de reprodução e sobrevida, os fatores ambientais de interferência e os métodos de controle das superpopulações de gatos urbanos.

Unitermos: Gatos urbanos, superpopulação animal, controle populacional


Botão Edições anteriores