Edições Anteriores

Edição N. 25

março/abril - Ano V,2000

Neurologia

Autor(es): Luciana V. C. Sarmento ; Eduardo A. Tudury, Ericka R. Albuquerqu, Patrícia K. L. Magalhães


Coleta, análise e interpretação do líquido céfalo-raquidiano

A análise do líquido céfalo-raquidiano pode auxiliar no diagnóstico de doenças do sistema nervoso central e periférico, em virtude da forte correlação existente entre alterações nos seus resultados e lesões neurológicas. Daí a importância de conhecer desde a fisiologia até as técnicas de análise para melhor interpretação dos resultados. Exame físico, análises de glicose e proteínas, e contagens total e diferencial de células devem sempre ser realizados. Com o presente trabalho, pretende-se fornecer ao clínico veterinário informações que lhe permitam realizar a coleta do líquido céfalo-raquidiano, sua análise e o diagnóstico diferencial entre as doenças neurológicas que possam estar afetando o paciente.

Unitermos: Análise do líquido céfalo-raquidiano, cães, gatos.


Reprodução

Autor(es): Simone Tostes de Oliveira ; Christina de Siqueira Mendonça, Marco Antônio Ribeiro de Faria


Histerocele inguinal com gestação - relato de dois casos

As hérnias inguinais são hereditárias ou adquiridas, observadas principalmente em cadelas mais idosas não castradas. Sua ocorrência deve-se a fatores como obesidade e desequilíbrio hormonal, estando geralmente associadas ao estro ou à gestação. Os autores relatam dois casos de histerocele inguinal com gestação. No primeiro caso havia um único feto, que se encontrava no saco herniário. A gestação foi a termo e realizou-se cesariana, ovariosalpingohisterectomia e redução cirúrgica da hérnia. No segundo, um feto encontrava-se no saco herniário e outro na cavidade abdominal. O feto que se encontrava no saco herniário não se desenvolveu, e o corno uterino retornou ao abdome, havendo porém o desenvolvimento normal do feto da cavidade abdominal. Ocorreu distocia no momento do parto e procedeu-se a cesariana, ovariosalpingohisterectomia e redução cirúrgica da hérnia.

Unitermos: Gestação, inguinal, histerocele, cadela.


Dermatologia

Autor(es): Marconi Rodrigues de Farias ; Jayme Augusto Peres, Viciany Erique Fabris, Fabiano Séllos Costa, Roberta Gil Pinto


Adenite sebácea granulomatosa em cães da raça akita: relato de caso

A adenite sebácea granulomatosa (ASG) é uma desordem inflamatória primária idiopática da glândula sebácea. Embora muitas raças possam ser afetadas, há aparente prevalência em poodles standard, vizslas, akitas e samoiedas, variando a severidade dos sinais clínicos de acordo com a raça e o tipo de pelagem. A ASG foi diagnosticada em dois cães da raça akita, geneticamente aparentados, caracterizada por uma desordem cutânea alopécica, eritemato-descamativa, simétrica e progressiva. Histopatologicamente foram observadas severa hiperceratose ortoceratótica, associada a inflamação granulomatosa envolvendo a glândula sebácea e evoluindo para sua total destruição. Terapias tópica e sistêmica resultaram em controle parcial da desordem, havendo constantes recidivas. Embora considerada uma genodermatose, os mecanismos de herança e etiopatogênicos da ASG são desconhecidos, o que faz desta uma patologia dermatológica de difícil controle e refratária ao tratamento.

Unitermos: Adenite sebácea granulomatosa, akita, cães.


Neurologia

Autor(es): Luciana V. C. Sarmento ; Eduardo A. Tudury, Ericka R. Albuquerqu, Patrícia K. L. Magalhães


Coleta, análise e interpretação do líquido céfalo-raquidiano

A análise do líquido céfalo-raquidiano pode auxiliar no diagnóstico de doenças do sistema nervoso central e periférico, em virtude da forte correlação existente entre alterações nos seus resultados e lesões neurológicas. Daí a importância de conhecer desde a fisiologia até as técnicas de análise para melhor interpretação dos resultados. Exame físico, análises de glicose e proteínas, e contagens total e diferencial de células devem sempre ser realizados. Com o presente trabalho, pretende-se fornecer ao clínico veterinário informações que lhe permitam realizar a coleta do líquido céfalo-raquidiano, sua análise e o diagnóstico diferencial entre as doenças neurológicas que possam estar afetando o paciente.

Unitermos: Análise do líquido céfalo-raquidiano, cães, gatos.


Reprodução

Autor(es): Simone Tostes de Oliveira ; Christina de Siqueira Mendonça, Marco Antônio Ribeiro de Faria


Histerocele inguinal com gestação - relato de dois casos

As hérnias inguinais são hereditárias ou adquiridas, observadas principalmente em cadelas mais idosas não castradas. Sua ocorrência deve-se a fatores como obesidade e desequilíbrio hormonal, estando geralmente associadas ao estro ou à gestação. Os autores relatam dois casos de histerocele inguinal com gestação. No primeiro caso havia um único feto, que se encontrava no saco herniário. A gestação foi a termo e realizou-se cesariana, ovariosalpingohisterectomia e redução cirúrgica da hérnia. No segundo, um feto encontrava-se no saco herniário e outro na cavidade abdominal. O feto que se encontrava no saco herniário não se desenvolveu, e o corno uterino retornou ao abdome, havendo porém o desenvolvimento normal do feto da cavidade abdominal. Ocorreu distocia no momento do parto e procedeu-se a cesariana, ovariosalpingohisterectomia e redução cirúrgica da hérnia.

Unitermos: Gestação, inguinal, histerocele, cadela.


Dermatologia

Autor(es): Marconi Rodrigues de Farias ; Jayme Augusto Peres, Viciany Erique Fabris, Fabiano Séllos Costa, Roberta Gil Pinto


Adenite sebácea granulomatosa em cães da raça akita: relato de caso

A adenite sebácea granulomatosa (ASG) é uma desordem inflamatória primária idiopática da glândula sebácea. Embora muitas raças possam ser afetadas, há aparente prevalência em poodles standard, vizslas, akitas e samoiedas, variando a severidade dos sinais clínicos de acordo com a raça e o tipo de pelagem. A ASG foi diagnosticada em dois cães da raça akita, geneticamente aparentados, caracterizada por uma desordem cutânea alopécica, eritemato-descamativa, simétrica e progressiva. Histopatologicamente foram observadas severa hiperceratose ortoceratótica, associada a inflamação granulomatosa envolvendo a glândula sebácea e evoluindo para sua total destruição. Terapias tópica e sistêmica resultaram em controle parcial da desordem, havendo constantes recidivas. Embora considerada uma genodermatose, os mecanismos de herança e etiopatogênicos da ASG são desconhecidos, o que faz desta uma patologia dermatológica de difícil controle e refratária ao tratamento.

Unitermos: Adenite sebácea granulomatosa, akita, cães.


Botão Edições anteriores