Edições Anteriores

Edição N. 17

novembro/dezembro - Ano III,1998

Clínica cirúrgica

Autor(es): Alexandre Correia Silva


Constipação e obstipação em gatos: tratamento clínico e cirúrgico

A constipação é um sinal clínico caracterizado pela infreqüência ou dificuldade na passagem das fezes, que se tornam endurecidas e volumosas no cólon e no reto. Algumas condições podem levar à impactação fecal, sendo as mais freqüentes: ingestão de corpos estranhos, mudanças ambientais, dor na região anorretal, dieta inadequada, distúrbios hidroeletrolíticos e efeito de drogas. Os gatos adquirem patologias que podem se instalar no próprio trato digestivo ou em estruturas circunvizinhas, causando a constipação. O objetivo da terapia é a eliminação ou o controle dos fatores predisponentes e das causas que levam à constipação. O tratamento clínico vale-se do ajuste dietético e do emprego de laxativos orais ou supositórios retais. Nas impactações fecais severas empregam-se enemas associados à extração manual das fezes. O tratamento cirúrgico é indicado nas constipações refratárias à terapia médica.

Unitermos: Gato, Constipação, Obstipação, Cirurgia, Clínica


Zoonose

Autor(es): Helio Langoni ; Kenio de Gouvêa Cabral, Claudia Sousa Kronfly


Pesquisa de aglutininas anti-leptospíricas em gatos

Estudou-se a presença de aglutininas anti-leptospíricas em 200 soros de gatos pelo teste de soroaglutinação microscópica, utilizando-se 25 sorovares de leptospira. Detectou-se a presença de anticorpos aglutinantes em nove amostras (4,5%) com títulos que variaram de 100 a 400, sendo que 4 (44,4%) reagiram para o sorovar icterohaemorrhagiae, 2 (22,2%) para o sorovar patoc, 1 (11,1%) para canicola, 1 (11,1%) para grippotyphosa e 1 (11,1%) para andamana. Conclui-se pela baixa ocorrência de animais reagentes, entretanto novos estudos devem ser realizados correlacionando-se resultados sorológicos e de cultivo.

Unitermos: leptospirose, aglutininas anti-leptospíricas, gatos, soroaglutinação microscópica.


Clínica médica

Autor(es): Marcelo de Campos Pereira ; Adriano Pinter dos Santos


Ctenocephalides felis felis: biologia, ecologia e controle integrado (2ª parte - controle integrado)

Embora a pulga do gato persista como problema para os animais de estimação e para seus proprietários, nos últimos anos têm ocorrido progressos significativos no desenvolvimento de produtos seguros, eficazes e de fácil manuseio. Uma breve revisão dos parasiticidas comumente utilizados no Brasil para o controle de pulgas é apresentada, relacionando os princípios ativos e sua classificação. Conceitos para o desenvolvimento de programa de controle integrado de pulgas são apresentados, abrangendo aspectos de controle ambiental interno e externo, assim como os produtos e métodos utilizados no tratamento do animal. Os mais recentes parasiticidas usados para o controle de pulgas são revistos, aí incluso os reguladores de crescimento dos insetos (metoprene e lufenuron) e os adulticidas de contato para uso tópico (fipronil e imidacloprid).

Unitermos: Ctenocephalides felis felis, controle integrado de pulgas, parasiticidas


Botão Edições anteriores