Edições Anteriores

Edição 11

novembro/dezembro - Ano II,1997

Clínica médica

Autor(es): Heloisa Justen Moreira de Souza ; Elaine Waite de Souza


Piotórax felino

O piotórax felino é uma efusão pleural séptica, sendo a dispnóia inspiratória o sinal clínico mais evidente. Nos casos de severainstabilidade respiratória, a toracocentese torna-se imediatamente necessÁria. O diagnÓstico presuntivo é obtido pelo exame físico e estudo radiográfico da cavidade torácica.O diagnóstico definitivo é confirmado pela análise citológica e cultura bacteriana do fluido. O tratamento deve ser direcionado para drenagem e irrigação da cavidade torácica: colocação do dreno torácico, antibioticoterapia sistêmica e correção dos distúrbios eletrolíticos e metabólicos.

Unitermos:


Ortopedia

Autor(es): Jos� de Alvarenga


Não união do processo ancôneo - súmula cirúrgica

A não união do processo ancôneo é uma afecção comumente observada em ortopedia veterinária. O presente artigo descreve,passo a passo, a técnica cirúrgica mais utilizada para resolução do processo, por meio de ilustraçães esquemáticas eimagens radiográficas. São apresentadas, resumidamente, as características mais importantes da afecção: causa, sintomas/sinais clínicos, diagnóstico e tratamento.

Unitermos:


Ultrassonografia

Autor(es): Leonardo A. L. Muzzi ; Ruthnéa A. Lázaro Muzzi Roberto Baracat de Araújo


Ultrassonografia da próstata em cães

Devido à elevada frequência das afecções prostáticas na espécie canina e ao grande impulso dos métodos de diagnóstico porimagem nos últimos anos, procurou-se apresentar uma revisão dos aspectos anatômicos, indicações, técnicas e limitações do exame ultra-sonográfico da próstata em cães, descrevendo ainda os principais achados ultra-sonográficos relacionados às afecções dessa glândula. Apesarde nos fornecer aspectos importantes da arquitetura interna da próstata,as imagens ultra-sonográficas devem estar sempre associadas ao exame clínico  e a utros métodos de diagnóstico complementares.

Unitermos:


Saúde pública

Autor(es): Santa Rosa, Idael Christiano de Almeida ; Isabel Cristine Silveira de Oliveira


Leishmaniose visceral: zoonose reemergente

O presente artigo fazuma revisão sobre a leishmaniose visceral americana (LVA), zoonose reemergente no país. São discutidos aspectos sobre o agente etiológico, o vetor, o reservatório, as formas de controle,epidemiologia e as mudanças no comportamento da doença. Além da revisão de aspectos clínicos e do diagnóstico da LVA no cão, o artigo levanta questões sobre saúde pública e ética.

Unitermos:


Anestesiologia

Autor(es): Patrícia Mendes Pereira ; André Luis Selmi; Márcia K. Notomi; Ellen M. P. Almeida; Newton Nunes


Tratamento de arritmias nos períodos trans e pós-anestésicos

As arritmias são anormalidades comuns nos períodos trans e pós-anestésicos,podendo ocorrer na presença ou não de doenças cardíacas primárias. Primeiramente, o tratamento da arritmia deve ser voltado à eliminação do fator precipitante, como a correção dos desequilíbrios ácidos-básicos, correção da hipotensão ou qualquer outro distúrbio presente. As drogasanti-arrítmicas são utilizadas quando a correçãode possíveis fatores precipitantes não apresentar melhora,quando há piora do quadro, ou quando estas arritmias trazem risco à vida do paciente.

Unitermos:


Patologia cirúrgica

Autor(es): Camila InfantosiVannucchi ; Patrícia C. Nolf Ventura Sandra Satzinger Silvia E. Crusco dos Santos


Afecções prostáticas em cães: sinais clínicos, diagnóstico e tratamento

Moléstias prostáticas são frequentemente encontradas em cães machos adultosa idosos. O presente artigo descreve as principais afecções da próstata (prostatite bacteriana, abscesso, hiperplasia prostática benigna, cistos e neoplasia prostática), discriminando os sinais clínicos, meios diagnósticos e formas de tratamento. Os diferentesprocedimentos cirúrgicos indicados em terapêutica são mencionados, orientando para a escolha da melhor técnica a ser empregadaem função do tipo de afecção e das complicações pós-cirúrgicas.

Unitermos:


Odontologia

Autor(es): Pollyanna Tong ; Edilberto Rodrigues André L.Rosa Sérgio Cordaro


Desvio lingual de dentes caninos inferiores de cão - tratamento ortodôntico

Caso clínico relata tratamento ortodôntico com a utilização de dois aparelhos de resina acrílica num cão fila de 7 meses apresentando traumatismo em palato e desvio lingual de dentes caninos inferiores, causado por má oclusão. A técnica de plano inclinado é utilizada em odontologia veterinária para a correção de desvio lingual, muito comum em cães que tiveram retenção de dentes decíduos.

Unitermos:


Boto Edies anteriores