Clínica Veterinária n. 80

R$ 40,00

DIAGNÓSTICO POR IMAGEM: Avaliação da discopatia em cães por métodos de imagem. Parte 1 – Radiografia convencional – revisão de literatura
DIAGNÓSTICO POR IMAGEM: Avaliação da discopatia em cães por métodos de imagem. Parte 2 – Tomografia computadorizada – revisão de literatura
DIAGNÓSTICO POR IMAGEM: Características ultrassonográficas da meningoencefalite granulomatosa em cães
DIAGNÓSTICO POR IMAGEM: Contribuições da tomografia computadorizada (TC) de tórax em cão com nódulos pulmonares – relato de caso
DIAGNÓSTICO POR IMAGEM: Diagnóstico clínico e ultrassonográfico da pitiose gástrica canina – relato de caso
DIAGNÓSTICO POR IMAGEM: Ultrassonografia testicular em onças pintadas (Panthera onca)
DIAGNÓSTICO POR IMAGEM: Utilização da ultrassonografia no diagnóstico das nefromegalias em pequenos animais – revisão de literatura

Descrição


Artigos científicos presentes na Clínica Veterinária n. 80, maio/junho/2009, ano XIV:

DIAGNÓSTICO POR IMAGEM: Avaliação da discopatia em cães por métodos de imagem. Parte 1 – Radiografia convencional – revisão de literatura

Autores: Luciana Fortunato Burgese ; Ana Carolina B. de C. Fonseca Pinto

Resumo: A presente revisão objetivou destacar a importância dos métodos de diagnóstico por imagem convencionais (exame radiográfico simples e mielografia) no diagnóstico da discopatia. O exame radiográfico simples é o método de imagem essencial na suspeita de discopatia e frequentemente fornece informações que caracterizam essas alterações. Entretanto, pode revelar múltiplas lesões ou até mesmo a ausência delas, devendo ser complementado com a mielografia para se diagnosticar, confirmar ou excluir alterações e obter informações quanto a localização, aspecto e extensão das lesões. O exame radiográfico simples e a mielografia são ferramentas importantes que se complementam para o diagnóstico da discopatia, contribuindo com informações valiosas para o tratamento clínico-cirúrgico.
Unitermos: deslocamento do disco intervertebral, mielografia.


DIAGNÓSTICO POR IMAGEM: Avaliação da discopatia em cães por métodos de imagem. Parte 2 – Tomografia computadorizada – revisão de literatura

Autores: Luciana Fortunato Burgese ; Ana Carolina B. de C. Fonseca Pinto

Resumo: O presente estudo teve o objetivo de realizar breve revisão técnica da tomografia computadorizada (TC), método em expansão na medicina veterinária, demonstrando sua indicação, os aspectos da imagem associados com a discopatia e sua importância no diagnóstico. A TC fornece informações relevantes quando associada aos exames radiográficos simples e contrastado (mielografia), por indicar com precisão a localização, a extensão das lesões e o grau de compressão medular. A TC veio complementar os métodos de diagnóstico por imagem convencionais e não os substitui, sendo de extrema valia no diagnóstico da discopatia e uma ferramenta importante para o direcionamento cirúrgico.
Unitermos: Canis familiaris, deslocamento do disco intervertebral, anatomia transversal, raios-X


DIAGNÓSTICO POR IMAGEM: Diagnóstico clínico e ultrassonográfico da pitiose gástrica canina – relato de caso

Autores: Tilde Rodrigues Froes ; Sávia Calline Carneiro Santos Paiva, Leandro Lima, Daniela de Oliveira Afonso, Juliana Werner

Resumo: A pitiose é uma doença piogranulomatosa crônica causada pelo Pythium insidiosum. É pouco frequente em cães e, quando os acomete manifesta-se predominantemente sob a forma gastrintestinal. Um cão da raça labrador, de um ano e seis meses de idade, com queixa de vômitos e perda de peso foi atendido no hospital veterinário da Universidade Federal do Paraná. Ao exame ultrassonográfico, evidenciaram-se severo espessamento da parede gástrica e perda de estratificação parietal. Devido a esses aspectos sonográficos e às características clínico-epidemiológicas do paciente, a pitiose gástrica foi incluída no diagnóstico diferencial. A biópsia gástrica, o exame histopatológico e a reação em cadeia da polimerase (PCR) comprovaram a etiologia do quadro. O objetivo do presente relato é descrever as características clínicas e diagnósticas da pitiose gástrica em um cão.
Unitermos: cão, gastrintestinal, ultrassonografia, Pythium.


DIAGNÓSTICO POR IMAGEM: Contribuições da tomografia computadorizada (TC) de tórax em cão com nódulos pulmonares – relato de caso

Autores: André Fonseca Romaldini ; Adriana H. de Campos Nogueira, Maria Luiza Valério

Resumo: A tomografia computadorizada (TC) é um método de diagnóstico por imagem de grande relevância para o diagnóstico, a evolução e o prognóstico de diversas doenças. Assim sendo, o presente trabalho teve como objetivo verificar a contribuição da TC para a condução clínica e o estabelecimento do prognóstico de doenças pulmonares em cães. Para tanto, os campos pulmonares de um cão com massa única visibilizada na radiografia torácica foram avaliados pelo método. A TC mostrou nódulos, que não haviam sido observados na radiografia de tórax, em várias regiões dos campos pulmonares, além de massa com áreas calcificadas, medindo 6,6 x 8,6cm, situada no lobo pulmonar caudal esquerdo, já observada na radiografia. A TC demonstrou ser técnica mais sensível do que a radiografia. Associando a grande extensão da doença pulmonar revelada pela TC ao quadro clínico do animal estabeleceu-se um prognóstico reservado, que não justificava a lobectomia pulmonar caudal esquerda, tendo-se optado pela eutanásia do animal.
Unitermos: lobectomia, massa, pulmão, diagnóstico por imagem.


DIAGNÓSTICO POR IMAGEM: Características ultrassonográficas da meningoencefalite granulomatosa em cães

Autores: Raquel Braga Perez ; Cibele Figueira Carvalho

Resumo: A meningoencefalite granulomatosa (MEG) é a segunda doença inflamatória mais comum do sistema nervoso central em cães depois da cinomose. Afeta principalmente cães de raças pequenas e miniaturas com média de idade de cinco anos, com maior incidência nas fêmeas. Este trabalho teve como objetivo avaliar as alterações encontradas na ultrassonografia transcraniana em Modo-B, no Doppler colorido e no Doppler pulsado, de onze cães com meningoencefalite granulomatosa. As alterações mais comuns encontradas foram: parênquima encefálico com diminuição generalizada da ecogenicidade e/ou aspecto heterogêneo, ventriculomegalia bilateral simétrica, presença ou não de lesões focais em parênquima encefálico, evidência dos vasos sanguíneos do círculo de Willis e IR (índice de resistividade) normal a aumentado. O diagnóstico final de MEG foi confirmado pela necrópsia e histopatologia.
Unitermos: doenças, sistema nervoso central, ultrassom.


DIAGNÓSTICO POR IMAGEM: Utilização da ultrassonografia no diagnóstico das nefromegalias em pequenos animais – revisão de literatura

Autores: Simone Cristine Monteiro ; Tilde Rodrigues Froes

Resumo: A nefromegalia em pequenos animais pode resultar de diferentes distúrbios fisiopatológicos, desde doença renal infiltrativa a alteração neoplásica ou processos obstrutivos do trato urinário. A ultrassonografia é um método valioso na avaliação das doenças renais. É uma técnica não invasiva, requer pouca preparação do paciente e não possui efeitos colaterais ou reações adversas. O reconhecimento ultrassonográfico das alterações renais que causam nefromegalia auxilia o clínico a estreitar a sua lista de diagnósticos diferenciais e compreender o prognóstico do paciente. Esta revisão de literatura compila informações sobre os aspectos ultrassonográficos das diferentes causas de nefromegalia em cães e gatos.
Unitermos: rim, nefropatias, trato urinário, ultrassom.


DIAGNÓSTICO POR IMAGEM: Ultrassonografia testicular em onças pintadas (Panthera onca)

Autores: Regina Celia Rodrigues da Paz ; Adauto Luis Veloso Nunes, Renato Campanarut Barnabe

Resumo: O objetivo deste estudo foi verificar a eficiência da ultrassonografia testicular na seleção de machos para planos de manejo reprodutivo. Foram realizados exames andrológico e ultrassonográfico em quatro machos de onça-pintada (Panthera onca). O exame andrológico indicou consistência normal dos testículos e pênis com quantidade reduzida de espículas em todos os animais. Três animais apresentaram produção e qualidade espermáticas normais e testículos sem alteração ao exame ultrassonográfico. No quarto animal, observou-se elevado índice de anormalidades e baixa concentração espermática, e o exame ultrassonográfico indicou alterações degenerativas em processo inicial. Por ser uma técnica não-invasiva, a ultrassonografia testicular é um método diagnóstico auxiliar na seleção de machos a integrar planos de manejo reprodutivo para espécies ameaçadas de extinção.
Unitermos: animais silvestres, reprodução, diagnóstico por imagem, exame andrológico.




Informação adicional

Dimensões 28 x 21 x 0.5 cm

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Clínica Veterinária n. 80”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *