Clínica Veterinária n. 76

R$ 30,00

ANIMAIS SELVAGENS: Avaliação dos manejos sanitário e alimentar de papagaios-verdadeiros (Amazona aestiva) mantidos em cativeiro domiciliar em Araçatuba, SP
CLÍNICA MÉDICA: Ascite quilosa associada à distocia fetal em uma gata
CLÍNICA MÉDICA: Hiperadrenocorticismo em felino associado ao diabetes melito insulino-resistente – relato de caso
CLÍNICA MÉDICA: Infecção do trato urinário de um gato doméstico por Capillaria sp – relato de caso
DERMATOLOGIA: Exame citológico no diagnóstico de lesões da pele e subcutâneo
NUTRIÇÃO: Influência da nutrição sobre a gestação, o parto e o puerpério de cadelas e gatas – uma breve revisão
ONCOLOGIA: Osteossarcoma vertebral em cão – relato de caso
ORTOPEDIA: Instabilidade atlantoaxial em cães – revisão de literatura
SAÚDE PÚBLICA: Leishmaniose em felino na zona urbana de Araçatuba, SP – relato de caso

Descrição


Artigos científicos presentes na Clínica Veterinária n. 76, setembro/outubro/2008, ano XIII:

ANIMAIS SELVAGENS: Avaliação dos manejos sanitário e alimentar de papagaios-verdadeiros (Amazona aestiva) mantidos em cativeiro domiciliar em Araçatuba, SP

Autores: Fábio Luís Bonello ; Marcelo Vasconcelos Meireles, Sílvia Helena Venturolli Perri, Cáris Maroni Nunes

Resumo: Manter animais silvestres em cativeiro domiciliar como animais de estimação é comum no Brasil, e os papagaios são preferidos por serem curiosos, atentos e engraçados, além de excelentes imitadores da voz humana. Entretanto, as aves da família Psittacidae podem ser fontes de infecção de algumas zoonoses. Neste trabalho foram estudados 50 papagaios-verdadeiros (Amazona aestiva) mantidos em cativeiro domiciliar em Araçatuba, São Paulo. Foram avaliadas, por meio de visitas aos domicílios, as condições socioeconômicas das famílias mantenedoras, os manejos sanitário e nutricional das aves, e o grau de contato destas com as pessoas. Os resultados indicaram manejos sanitário e nutricional inadequados na maioria dos casos, estreito contato das pessoas com os papagaios e falta de conhecimento sobre potenciais enfermidades infectoparasitárias das aves. Concluiu-se que o estreito contato dos residentes com as aves e as condições sanitárias inadequadas podem favorecer a ocorrência de zoonoses nas residências avaliadas.
Unitermos: aves silvestres, zoonoses, risco sanitário


CLÍNICA MÉDICA: Hiperadrenocorticismo em felino associado ao diabetes melito insulino-resistente – relato de caso

Autores: Alexandre Gonçalves Teixeira Daniel ; Arine Pellegrino, Khadine Kazue Kanayama, Luciane Maria Kanayama, Archivaldo Reche Júnior

Resumo: “O hiperadrenocorticismo felino, endocrinopatia pouco freqüente, é uma das principais causas de diabetes melito insulino-resistente em gatos. Um felino de dezesseis anos de idade foi atendido no Hospital Veterinário da FMVZ-USP com quadro de poliúria, polidipsia e aumento de volume abdominal. Exames complementares revelaram hiperglicemia com glicosúria e hipertrigliceridemia/colesterolemia. Feito o diagnóstico de diabetes melito, instituiu-se o tratamento insulínico, que não gerou resposta. Ao exame ultra-sonográfico, evidenciou-se adrenomegalia bilateral simétrica o teste de supressão com baixa dose de dexametasona revelou valores elevados de cortisol basal e pós-supressão. Com isso, realizou-se o diagnóstico de hiperadrenocorticismo. O quadro é pouco freqüente, ressaltando a importância da inclusão dessa endocrinopatia na clínica de felinos entre os diagnósticos diferenciais da resistência insulínica.”
Unitermos: medicina felina, endocrinologia, adrenal


CLÍNICA MÉDICA: Infecção do trato urinário de um gato doméstico por Capillaria sp – relato de caso

Autores: Dayanne A. Silva Barbosa Dantas ; Marcelo Campos Rodrigues, Antonio Francisco de Sousa, Antonio Carlos Martins Portela, Wellson Andrade de Oliveira

Resumo: Capillaria sp. é um parasita da bexiga urinária de vários carnívoros, raramente encontrado em cães e gatos. Geralmente a capilariose é auto-limitante mas, em altas infestações, pode provocar a doença do trato urinário inferior dos felinos (DTUIF), que também pode ser decorrente de outros agentes etiológicos. Entretanto, como as manifestações clínicas da DTUIF são inespecíficas, não permitindo identificar o agente etiológico que a deflagrou, o diagnóstico da infecção por Capillaria sp. é baseado em exame do sedimento urinário, que se constitui em um teste qualitativo. O presente relato descreve os procedimentos adotados para o tratamento de um felino com sintomas de DTUIF e presença de ovos de Capillaria sp. no sedimento urinário. Até aonde os autores puderam investigar, trata-se do primeiro relato de capilariose urinária em gatos domésticos no Brasil.
Unitermos: felino, bexiga urinária, parasita


CLÍNICA MÉDICA: Ascite quilosa associada à distocia fetal em uma gata

Autores: Claudia Russo ; Ewaldo de Mattos Junior, Gustavo José von Glehn dos Santos, Selwyn Arlinton Headley

Resumo: A ascite quilosa é uma enfermidade rara na clínica de pequenos animais e, geralmente, está associada a alterações abdominais que causam obstrução ou ruptura de vasos linfáticos, tais como neoplasias. O presente trabalho descreve o caso de uma gata sem raça definida com ascite quilosa associada a distocia fetal. A única alteração detectada pelo exame físico foi a distensão abdominal. O hemograma revelou leucocitose com neutrofilia, porém as provas de função renal e hepática estavam normais. Ao acesso abdominal para cesariana, foi encontrada grande quantidade de líquido com aspecto leitoso, diagnosticado como quilo pelo teste de extração de triglicerídeos por solvente (éter). Não foram encontradas outras alterações macroscópicas na cavidade abdominal. Como entre as possíveis etiologias da ascite inclui-se a obstrução dos vasos linfáticos, concluiu-se que, na gata em questão, a enfermidade foi provocada pela compressão do útero gravídicos sobre os vasos linfáticos.
Unitermos: ascite quilosa, gatos, distocia fetal


DERMATOLOGIA: Exame citológico no diagnóstico de lesões da pele e subcutâneo

Autora: Noeme Sousa Rocha

Resumo: O exame citopatológico consiste na análise das alterações morfológicas em células isoladas obtidas por raspado, descamação natural ou aspiração, tornando-se uma valiosa fonte de informação no diagnóstico de lesões dermatológicas, quer nos processos inflamatórios infecciosos e não infecciosos, quer nos processos neoplásicos. Para compreender esses processos é fundamental a interpretação básica da morfologia e da disposição detalhada de cada célula. Em virtude disso, ainda que o diagnóstico citológico de lesão dermatológica seja inconclusivo, ele fornece informações importantes em um processo patológico geral, orienta com maior segurança e fornece dados para a conduta terapêutica, e aponta a possível resposta a determinados fármacos. O presente trabalho visa descrever a aplicação do exame citológico nas lesões dermatológicas em animais de companhia.
Unitermos: lesão inflamatória, lesão não inflamatória, punção aspirativa


NUTRIÇÃO: Influência da nutrição sobre a gestação, o parto e o puerpério de cadelas e gatas – uma breve revisão

Autores: Patricia Rotta Lopes ; Valeska Rodrigues, Gilson Hélio Toniollo

Resumo: Existe uma relação importante entre nutrição e reprodução. Alterações fisiológicas e aumento das necessidades nutricionais são observados em cadelas e gatas durante a gestação e a lactação, devido às mudanças que ocorrem nas demandas metabólicas. Deficiências, excessos e desequilíbrios nutricionais podem alterar o desempenho reprodutivo. A alimentação adequada durante esse período é fundamental para assegurar ótimo desenvolvimento e crescimento fetal, parto sem complicações e boa produção de leite no puerpério, aumentando a probabilidade de um profícuo desempenho reprodutivo, enquanto a nutrição incorreta pode alterá-lo. Durante a gestação e a lactação, as fêmeas apresentam necessidades nutricionais específicas que devem ser consideradas.
Unitermos: canina, felina, reprodução


ONCOLOGIA: Osteossarcoma vertebral em cão – relato de caso

Autores: Fábio de Souza Mendonça ; Renata Gebara Sampaio Dória, Silvio Henrique de Freitas, Marco Aurélio Molina Pires, Lázaro Manoel de Camargo, Joaquim Evêncio-Neto

Resumo: Osteossarcomas vertebrais são neoplasmas mesenquimais pouco freqüentes em cães, embora possam se desenvolver em qualquer parte do esqueleto. Devido ao comportamento maligno desses tumores, cerca de 90% de caninos com osteossarcoma apresentam recidivas ou metástases, principalmente em ossos adjacentes ao tumor primário e nos pulmões. Um cão da raça rottweiler, com queixa de paraplegia, foi atendido no Hospital Veterinário da Universidade de Cuiabá. Pelo exame radiológico não foi possível diagnosticar o tumor. O diagnóstico de osteossarcoma vertebral foi realizado a partir dos achados de necropsia e exame histopatológico. Embora de ocorrência esporádica, os osteossarcomas de coluna vertebral podem causar síndrome neurológica compressiva e originar metástases pulmonares e renais.
Unitermos: oncologia, neoplasia, coluna vertebral


ORTOPEDIA: Instabilidade atlantoaxial em cães – revisão de literatura

Autores: Rafael Festugatto ; Alexandre Mazzanti, Alceu Gaspar Raiser, Fernanda Souza Barbosa

Resumo: A instabilidade atlantoaxial (IAA), afecção congênita ou decorrente de episódios traumáticos, pode resultar na compressão da medula espinhal e conseqüente surgimento de deficiências neurológicas. As causas mais freqüentes de IAA em cães são a ausência e a hipoplasia do processo odontóide do áxis. Os animais das raças “toy”, com menos de um ano de idade, são os mais acometidos. A instabilidade atlantoaxial em cães pode ser tratada por meios conservadores ou cirúrgicos. O tratamento conservador tem sido proposto para animais com sinais clínicos discretos, e o cirúrgico está indicado para aqueles que apresentam deficiências neurológicas moderadas a graves. O tratamento cirúrgico inclui técnicas de estabilização dorsal e ventral da articulação atlantoaxial. Os objetivos dessas cirurgias são a redução da instabilidade articular e a descompressão da medula espinhal e das raízes nervosas.
Unitermos: neurologia, coluna vertebral, estabilização cervical


SAÚDE PÚBLICA: Leishmaniose em felino na zona urbana de Araçatuba, SP – relato de caso

Autores: Anna Claudia Marques Serrano ; Cáris Maroni Nunes, Elisa San Martin Savani, Sandra Regina Nicoletii D Auria, Fabio Luis Bonello, Rosimeire Oliveira Vasconcelos, Valéria Marçal Félix de Lima, Katia Denise Saraiva Bresciani

Resumo: Um felino macho, domiciliado, sem raça definida, com quatro anos de idade, foi encaminhado por seu proprietário ao Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) do Município de Araçatuba, SP, para eutanásia. O animal foi examinado e apresentava fezes liqüefeitas, desidratação, apatia e lesões cutâneas. Após o óbito, foram colhidas amostras fecais para realização de técnicas coproparasitológicas, bem como foi efetuado imprint do linfonodo poplíteo esquerdo para avaliação da presença de formas amastigotas de Leishmania spp. Foram efetuados a reação de imunofluorescência indireta (RIFI) e o ensaio imunoenzimático indireto (ELISA) para detecção de anticorpos contra Leishmania spp. com resultado negativo para ambos, porém na reação em cadeia da polimerase (PCR) em amostras de soro para rastrear o parasito obteve-se resultado positivo.
Unitermos: gato, RIFI, ELISA, PCR, Leishmania spp.




Informação adicional

Peso 380 g
Dimensões 28 x 21 x 0.5 cm

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Clínica Veterinária n. 76”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor aguarde...

Inscreva-se na nossa Newsletter!

Você gostaria de manter-se atualizado com os eventos veterinários nacionais e internacionais mais importantes? Digite o seu endereço de e-mail e nome abaixo e receba updates que deveriam estar no calendário de qualquer veterinário!