Clínica Veterinária n. 67

R$ 40,00

BEM-ESTAR ANIMAL: Ansiedade de separação e suas implicações na qualidade de vida de cães domésticos (Canis familiaris)
CIRURGIA: Persistência de arco aórtico direito em fêmea da raça american staffordshire terrier tratada cirurgicamente com sucesso – relato de caso
CLÍNICA MÉDICA: Aspectos epidemiológicos e clinicopatológicos de 72 casos de endocardite valvar em cães
CLÍNICA MÉDICA: Peritonite encapsulante esclerosante em cão – relato de caso
CLÍNICA MÉDICA: Tromboembolismo pulmonar secundário à síndrome nefrótica em cão – revisão de literatura e relato de caso
COMPORTAMENTO: Agressividade canina a seres humanos – reação normal ou alteração comportamental motivada pela raiva?
COMPORTAMENTO: Transtorno obsessivo-compulsivo como causa de formação de tricobezoar em cão – relato de caso
TOXICOLOGIA: Intoxicações em cães e gatos – uma análise de casuística

Descrição


Artigos científicos presentes na Clínica Veterinária n. 67, março/abril/2007, ano XII:

BEM-ESTAR ANIMAL: Ansiedade de separação e suas implicações na qualidade de vida de cães domésticos (Canis familiaris)

Autores: Guilherme Marques Soares ; João Telhado, Rita Leal Paixão

Resumo: A síndrome de ansiedade de separação é um transtorno comportamental que acomete os cães de companhia e cuja prevalência cresce a cada dia. Essa desordem reduz a qualidade de vida dos animais, ocasiona incômodos aos proprietários e vizinhos e, não raras vezes, gera o abandono dos animais e até mesmo a eutanásia. Portanto, faz-se cada vez mais necessário identificar esse quadro mórbido e tratá-lo. Além disso, há que estudar não só esse distúrbio, mas todos os diversos problemas de comportamento, a fim de promover a conscientização de proprietários e médicos veterinários, quanto ao bem-estar e a melhoria da qualidade de vida dos cães domésticos, que tantos benefícios sociais e emocionais trazem para as suas “famílias humanas”.
Unitermos: Comportamento canino, bem-estar animal


CIRURGIA: Persistência de arco aórtico direito em fêmea da raça american staffordshire terrier tratada cirurgicamente com sucesso – relato de caso

Autores: Berenice de Ávila Rodrigues ; Marianne Lamberts, Marcelo de Souza Muccillo, Jorge de Mesquita Martins, Márcio Poletto Ferreira, Simone Scherer, Cristiane Ferreira da Luz Brun, Manoela Lampert

Resumo: A anomalia do anel vascular – conhecida como quarto arco aórtico persistente – em cães, é uma má-formação congênita decorrente de falha no desenvolvimento dos grandes vasos do coração durante o período embrionário. A persistência do quarto arco aórtico direito obstrui o trajeto da traquéia e do esôfago, e interfere no funcionamento desses órgãos por compressão e subseqüente alteração do trânsito regional aéreo e alimentar. O objetivo do presente trabalho é relatar um caso de persistência do quarto arco aórtico direito (PAAD) em uma fêmea da raça american staffordshire terrier. O caso é abordado clínica e cirurgicamente, avaliando-se a evolução da paciente desde o estabelecimento do diagnóstico do defeito congênito até a presente data.
Unitermos: cão, defeito anatômico, sistema cardiovascular, aorta, megaesôfago


CLÍNICA MÉDICA: Tromboembolismo pulmonar secundário à síndrome nefrótica em cão – revisão de literatura e relato de caso

Autores: Ana Paula Sarraff-Lopes ; Sabrina Marin Rodigheri, Carolina Zaghi Cavalcante, Marconi Rodrigues de Farias, Cynthia Cristina Venâncio da Silva

Resumo: O tromboembolismo pulmonar é uma grave enfermidade vascular que afeta o sistema cardiorrespiratório de caninos, felinos e seres humanos. Qualquer condição que leve à estase circulatória, hipercoagulabilidade sangüínea ou cause lesão endotelial predispõe a formação de trombos. O hiperadrenocorticismo, o hipotireoidismo, a glomerulonefrite, as cardiopatias e as neoplasias são as principais enfermidades associadas ao tromboembolismo pulmonar. Cães com síndrome nefrótica são susceptíveis às afecções tromboembólicas devido à hipercoagulabilidade sangüínea secundária à perda renal de albumina, antitrombina III e inibidores da fibrinólise, juntamente com hiperfibrinogenemia e agregação plaquetária. O objetivo deste trabalho é discorrer sobre o tromboembolismo pulmonar em caninos e relatar um caso de tromboembolismo pulmonar secundário à síndrome nefrótica em um cão.
Unitermos: Pulmão, glomerulonefrite, trombose


CLÍNICA MÉDICA: Peritonite encapsulante esclerosante em cão – relato de caso

Autores: Isabela Tormes ; Pedro Luiz de Camargo, Giovana Wingeter Di Santis

Resumo: A peritonite encapsulante esclerosante é uma doença rara, caracterizada pela fibroesclerose intraperitoneal e periintestinal. O termo médico refere-se a uma condição caracterizada por fibrose e encapsulamento do peritônio visceral e parietal com massivas aderências. Duas formas principais ocorrem em pacientes humanos: uma idiopática, considerada rara, outra secundária ou adquirida, mais comum. Nos cães, a doença é de evolução crônica e de etiologia incerta. O tratamento de eleição é cirúrgico, embora tentativas médicas sejam reportadas. A progressão, o emagrecimento e a ascite são as principais complicações da doença. No presente artigo é descrito um caso de peritonite encapsulante esclerosante em cão, relacionando as observações clínicas, os exames complementares e a evolução do quadro às informações publicadas anteriormente.
Unitermos: encapsulamento abdominal, encapsulamento peritoneal, esclerose peritoneal


CLÍNICA MÉDICA: Aspectos epidemiológicos e clinicopatológicos de 72 casos de endocardite valvar em cães

Autores: Rafael Almeida Fighera ; Tatiana Mello de Souza, Luiz Francisco Irigoyen, Claudio Severo Lombardo de Barros

Resumo: “Foi realizado um estudo retrospectivo de 72 casos de endocardite valvar em cães. Dos 72 cães, 50 (69,4%) eram machos e 22 (30,6%) eram fêmeas. A idade dos cães afetados variou de quatro meses a 17 anos: três (4,2%) eram filhotes, 36 (50,0%) eram adultos e 33 (45,8%) eram idosos. Trinta e três cães (45,8%) não tinham raça definida e 39 (54,2%) eram de raça pura destes, 36 (92,3%) se inseriam em raças de grande porte ou gigantes, e apenas três (7,7%) pertenciam a raças médias ou pequenas. A mitral foi a valva mais comumente afetada (60/72 [83,3%]), seguida pela aórtica (15/72 [20,8%]), tricúspide (9/72 [12,5%]) e pulmonar (1/72 [1,4%]). As principais complicações relacionadas à endocardite evidenciadas à necropsia incluíram infartos (60/72 [83,3%]) e insuficiência cardíaca congestiva (13/72 [18,0%]).”
Unitermos: patologia, cardiologia, insuficiência cardíaca congestiva, tromboembolismo


COMPORTAMENTO: Transtorno obsessivo-compulsivo como causa de formação de tricobezoar em cão – relato de caso

Autores: Tilde Rodrigues Froes ; Antônio Felipe P. F. Wouk, Thiago Sillas, Janaína Ribeiro Doro, Paulo Roberto Klaumann

Resumo: “Tricobezoar é uma massa complexa de pêlos e resíduos que se acumula na luz do estômago, em conjunto com as secreções gástricas os gatos de pêlos longos são os animais mais acometidos. Na medicina, o tricobezoar é uma seqüela da tricotilomania, doença classificada como uma enfermidade psicológica relacionada ao transtorno obsessivo-compulsivo. A ocorrência dessa enfermidade em cães é rara e normalmente está associada a distúrbios de motilidade ou doenças inflamatórias gastrintestinais. Nesses casos, observa-se uma doença comportamental como fato indutor da formação do tricobezoar, assim como relatado na medicina. O objetivo desta comunicação é o de alertar o clínico sobre as diferentes apresentações de sinais clínicos que podem ser correlacionados a um transtorno obsessivo-compulsivo no cão, alteração comportamental que, entre outras, vem sendo mais estudada por médicos veterinários.”
Unitermos: canina, comportamento, gastrintestinal


COMPORTAMENTO: Agressividade canina a seres humanos – reação normal ou alteração comportamental motivada pela raiva?

Autores: Ana Paula Miranda Mundim ; João Henrique Gurtler Scatena, Cláudia G. N. Fernandes

Resumo: A agressão canina pode ser desencadeada por fatores genéticos, comportamentais e ambientais, além de enfermidades que alteram o padrão comportamental do animal. Uma das grandes preocupações em saúde pública é a possibilidade de transmissão da raiva e de perda de vidas humanas, além das seqüelas psicológicas, advindas da agressão proveniente de um animal e da profilaxia anti-rábica pós-exposição, de alto custo sócio-econômico nos casos em que a infecção rábica não ocorreu. Esforços das autoridades competentes têm determinado a redução dos casos de raiva humana e animal, sem que haja redução proporcional no número de vítimas submetidas à profilaxia pós-exposição. Assim, faz-se necessário maior conhecimento acerca desses acidentes, não só para determinar as prescrições, mas também para contribuir no planejamento de estratégias de educação voltadas à posse responsável. Mediante uma revisão de literatura, o presente artigo contextualiza o problema no Brasil, tendo em vista sua importância em termos de saúde pública.
Unitermos: cães, comportamento animal, saúde pública, prevenção e controle


TOXICOLOGIA: Intoxicações em cães e gatos – uma análise de casuística

Autores: Cinthia Guedes de Almeida ; Fabiana Galtarossa Xavier, Telma Ferrante, Helenice de Souza Spinosa

Resumo: O presente trabalho mostra os resultados obtidos em estudo retrospectivo dos casos de intoxicação em cães e gatos recebidos em um centro veterinário privado (São Paulo, SP, Brasil), no período de 1996 a 2004. A intoxicação ocorreu em 5,7% (499/8.696) dos casos. Os praguicidas agropecuários/veterinários, principalmente os anticolinesterásicos, foram os mais freqüentemente envolvidos (47,5%). O carbamato aldicarb (n=123) foi o agente tóxico mais comum. Outros agentes encontrados foram domissanitários (13,2%), medicamentos (8,7%), praguicidas de uso doméstico (7,6%), plantas ornamentais (7,0%), produtos químico-industriais (5,6%), agentes indeterminados (4,2%), outros agentes tóxicos (3,4%) e animais peçonhentos/não peçonhentos (2,8%). Esses dados reforçam a importância de serem implementadas medidas de controle e prevenção que reduzam o risco e a ocorrência de intoxicações em animais.
Unitermos: toxicologia, tóxicos




Informação adicional

Peso 276 g
Dimensões 28 x 21 x 0.5 cm

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Clínica Veterinária n. 67”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *