Clínica Veterinária n. 61

R$ 40,00

CLÍNICA MÉDICA: Avaliação cardiovascular em cães obesos: mensuração da pressão arterial e achados eletrocardiográficos
OFTALMOLOGIA: Exame oftálmico em cães e gatos
ONCOLOGIA: Fatores prognósticos no diagnóstico clínico e histopatológico dos tumores de mama em cadelas – revisão
SAÚDE PÚBLICA: Hematofagismo por Desmodus rotundus em cão de área urbana na cidade de Olinda, Pernambuco
SAÚDE PÚBLICA: Leishmaniose felina: revisão de literatura

Edição não consta no acervo digital

Descrição


Artigos científicos presentes na Clínica Veterinária n. 61, março/abril/2006, ano XI:

SAÚDE PÚBLICA: Leishmaniose felina: revisão de literatura

Autores: Filipe Dantas-Torres ; Lucilene Simões-Mattos, Fábio Luiz da Cunha Brito, Luciana Aguiar Figueredo, Maria Aparecida da Gloria Faustino

Resumo: Nos últimos anos, a leishmaniose felina (LF) vem despertando o interesse de clínicos veterinários, profissionais de saúde pública e de pesquisadores de vários países. Apesar do aumento do número de casos descritos na literatura, pouco se sabe sobre vários aspectos da doença. Recentemente, a susceptibilidade dos gatos domésticos à infecção por Leishmania (Viannia) braziliensis foi demonstrada experimentalmente. Entretanto, o verdadeiro papel desses animais na epidemiologia das leishmanioses ainda não foi completamente esclarecido. Nesse contexto, o objetivo deste artigo é revisar os principais aspectos da LF, bem como encorajar a realização de novas pesquisas a fim de contribuir para o conhecimento da doença no Brasil.
Unitermos: gato doméstico, epidemiologia, clínica, diagnóstico, tratamento, Leishmania


OFTALMOLOGIA: Exame oftálmico em cães e gatos

Autores: Ivia Carmem Talieri ; Adriana Torrecilhas Jorge Brunelli, Arianne Pontes Oriá, José Luiz Laus

Resumo: O exame oftálmico pode auxiliar não apenas no diagnóstico de enfermidades oculares, mas também de doenças sistêmicas. Todo animal com doença oftálmica deve ser submetido ao exame dos segmentos anterior e posterior do bulbo do olho, ao teste lacrimal de Schirmer, ao teste da fluoresceína e à tonometria. Muitos dos procedimentos envolvidos no diagnóstico oftálmico não são invasivos, e o equipamento utilizado para realizá-los pode ser facilmente adquirido. Este artigo, fundamentado na literatura especializada, oferece um protocolo organizado para o exame dos anexos oculares e dos segmentos anterior e posterior do olho. A compreensão de todas as etapas do exame de rotina auxiliará o clínico na identificação e no diagnóstico de muitas doenças que acometem o bulbo ocular.
Unitermos: oftalmologia, exame clínico, diagnóstico, pequenos animais


ONCOLOGIA: Fatores prognósticos no diagnóstico clínico e histopatológico dos tumores de mama em cadelas – revisão

Autores: Mariana Fernandes Cavalcanti ; Geovanni Dantas Cassali

Resumo: Os carcinomas de mama representam cerca de 50% do total das neoplasias que ocorrem em cadelas. A população com maior susceptibilidade é constituída de cadelas entre 9 e 11 anos de idade, sem predisposição racial. O diagnóstico inicial é feito com base na idade, sinais clínicos e características reprodutivas. Alguns fatores, como estadiamento clínico (sistema TNM), tipo histológico e graduação histológica (Sistema de Nottingham), têm demonstrado grande valor prognóstico no diagnóstico clínico e histopatológico desses tumores. A compreensão do comportamento biológico das neoplasias mamárias caninas permite a identificação de pacientes com evolução clínica semelhante e facilita a determinação de medidas terapêuticas específicas.
Unitermos: oncologia, estadiamento clínico, graduação histológica, carcinoma


CLÍNICA MÉDICA: Avaliação cardiovascular em cães obesos: mensuração da pressão arterial e achados eletrocardiográficos

Autores: Márcia Marques Jericó ; Marcella Beatriz Ferin P. Silva, Fabrício Lorenzini Aranha Machado

Resumo: A obesidade, doença metabólica de origem multifatorial, acarreta prejuízos à saúde e à longevidade do indivíduo. Foram estudados 69 cães obesos, de raças e idades variadas, com o objetivo de avaliar a função cardiovascular por meio de, anamnese, exame físico, mensuração da pressão arterial (PA) e eletrocardiografia (ECG). Os sintomas mais observados foram o cansaço fácil, a taquipnéia e a intolerância ao exercício. A PA sistólica encontrava-se elevada em 31 cães. No ECG, observaram-se alterações do segmento ST em 50,7% e fenestração em onda R descendente em 21,7% deles. Analisando-se os dados por meio da regressão logística, as influências de raça, sexo, idade e porcentagem de gordura corpórea não foram estatisticamente significativas para as alterações de PA e ECG. Concluiu-se, na população de cães obesos ora estudada, que a obesidade acarreta alterações sugestivas de aumento da pós-carga e de sofrimento do miocárdio.
Unitermos: obesidade, cardiologia, eletrocardiografia


SAÚDE PÚBLICA: Hematofagismo por Desmodus rotundus em cão de área urbana na cidade de Olinda, Pernambuco

Autores: Filipe Dantas-Torres ; Luciana Aguiar Figueredo, Carlos Valença, Geraldo Vieira de Andrade-Filho

Resumo: Atualmente são reconhecidas três espécies de morcegos hematófagos (Diaemus youngi, Diphylla ecaudata e Desmodus rotundus). Desmodus rotundus é o morcego hematófago com maior distribuição geográfica e que se alimenta, preferencialmente, de sangue de mamíferos. O presente relato descreve a ocorrência de hematofagismo por Desmodus rotundus em cão de área urbana na cidade de Olinda, Pernambuco, Brasil. Com auxílio de câmera de vídeo e máquina fotográfica digital, foram registradas imagens de hematofagismo em cão da raça doberman pinscher, assim como fotografadas lesões cutâneas resultantes do repasto sanguíneo pelo quiróptero. As imagens indicaram a participação do morcego Desmodus rotundus, o que foi confirmado após a captura de dois exemplares de morcego dessa espécie. Destaca-se o impacto em saúde pública da ocorrência, não usual, de hematofagismo por Desmodus rotundus em cães de área urbana no Brasil.
Unitermos: morcegos, raiva, saúde pública




Informação adicional

Peso 268 g
Dimensões 28 x 21 x 0.5 cm

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Clínica Veterinária n. 61”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *