Promoção!

Clínica Veterinária n. 47

R$ 30,00 R$ 15,00

ULTRASSONOGRAFIA: “Ultrassonografia intervencionista drenagem percutânea de lesões cavitárias e cistos prostáticos em cães”
CLÍNICA MÉDICA: Perfil hematológico de cães naturalmente infectados por Leishmania chagasi no município de Araçatuba – SP: um estudo retrospectivo de 191 casos
CLÍNICA MÉDICA: Eficácia e segurança do uso de selamectina no tratamento e no controle de infestações por pulgas em cães e gatos susceptíveis à puliciose, no Brasil
ORTOPEDIA: Displasia coxofemoral: diagnóstico clínico e radiográfico – revisão
HOMEOPATIA: Tratamento homeopático de felinos abandonados confinados em gatil acometidos por doenças respiratórias e dermatoses

Edição não consta no acervo digital

Descrição


Artigos científicos presentes na Clínica Veterinária n. 47, novembro/dezembro/2003, ano VIII:

ULTRASSONOGRAFIA: “Ultrassonografia intervencionista drenagem percutânea de lesões cavitárias e cistos prostáticos em cães”

Autores: Tilde Rodrigues Froes ; Janis Regina Messias Gonzalez, Luciane Maria Kanayama, Rafael Costa Jorge, Masao Iwasaki

Resumo: “A ultra-sonografia intervencionista é um método de diagnóstico auxiliar ou terapêutico pouco invasivo, eficiente e já consolidado na medicina humana, que raramente apresenta complicações. A drenagem de cistos e abscessos prostáticos foi pouco estudada na medicina veterinária. O objetivo deste trabalho foi avaliar a eficácia da drenagem percutânea ecodirigida nas lesões císticas ou cavitárias da próstata de cães. Foram estudados 15 cães com cistos ou lesões cavitárias prostáticas e/ou paraprostáticas identificadas ao exame ultra-sonográfico, no período de setembro de 2000 a setembro de 2002. Na maioria dos casos foram necessárias duas punções em 13 animais, a terapia proposta obteve sucesso não houve complicações durante as drenagens. Esses resultados indicam que a ultra-sonografia intervencionista é uma técnica segura e pouco invasiva no tratamento das lesões císticas ou cavitárias da próstata de cães.”

Unitermos: Intervenção, ultrassonografia, cães, próstata


CLÍNICA MÉDICA: Perfil hematológico de cães naturalmente infectados por Leishmania chagasi no município de Araçatuba – SP: um estudo retrospectivo de 191 casos

Autores: Fabiana Augusta Ikeda ; Paulo César Ciarlini, Mary Marcondes Feitosa, Maria Esther Gonçalves, Maria Cecília Rui Luvizotto, Valéria Marçal Félix de Lima

Resumo: O presente trabalho teve como objetivo descrever as alterações hematológicas observadas em 191 cães naturalmente infectados por Leishmania chagasi (Cunha e Chagas, 1937) no município de Araçatuba, São Paulo, Brasil, no período de janeiro de 1999 a maio de 2001. O diagnóstico da doença foi realizado por meio de exame citopatológico de punção aspirativa de linfonodo poplíteo e exame sorológico ELISA. Os achados laboratoriais mais freqüentes foram anemia (57%), hiperproteinemia (41,4%) e monocitose (33,5%). Os resultados indicam que os valores hematológicos, embora apresentem limitado valor no diagnóstico da leishmaniose visceral canina, fornecem importante subsídio para a avaliação do estado clínico do paciente, particularmente quanto ao quadro anêmico.

Unitermos: Leishmaniose visceral, cães, hematologia, Leishmania chagasi


CLÍNICA MÉDICA: Eficácia e segurança do uso de selamectina no tratamento e no controle de infestações por pulgas em cães e gatos susceptíveis à puliciose, no Brasil

Autores: Norma Labarthe ; Oclydes Barbarini Jr., Ossamuro Umehara, Dan Domingo, Flavya Mendes-de-Almeida

Resumo: “O presente estudo avaliou a eficácia e a segurança da aplicação tópica de selamectina na dosagem de 6-12 mg/kg em cães e gatos , conforme indicação do fabricante. Para tanto, constituiu-se uma amostra composta por 70 animais – 58 cães e 12 gatos apresentados a dez diferentes clínicas veterinárias do Rio de Janeiro, RJ e de São Paulo, SP. Todos os cães e gatos de um mesmo domicílio foram obrigatoriamente incluídos, e o somatório deles não podia ultrapassar três animais. Para que os animais de um domicílio fossem admitidos no estudo, era preciso que pelo menos um deles (cão ou gato) apresentasse o mínimo de 15 pulgas, contadas pela técnica do pente fino. Os animais receberam três aplicações, em intervalos de um mês. As avaliações clínicas e as contagens de pulgas foram feitas nos dias 0, 30, 60 e 90. Para a análise estatística, foram excluídos os animais com menos de 15 pulgas no dia 0. A comparação entre a contagem realizada no dia 0 e aquela realizada no dia 30 revelou diminuição de 96,5% no número de pulgas, na contagem realizada no dia 60, o percentual de diminuição em relação ao dia 0 foi de 99,4% e, na contagem realizada no dia 90, esse índice foi de 99,5%. A porcentagem de animais sem sinais clínicos passou de 25,5% no dia 0 para 89,1% ao final do estudo. Não houve nenhuma reação adversa nos cães ou nos gatos tratados com selamectina na dosagem de 6-12mg/kg.”

Unitermos: Selamectina, cães, gatos, pulgas


ORTOPEDIA: Displasia coxofemoral: diagnóstico clínico e radiográfico – revisão

Autores: Amaro Fábio de Albuquerque Souza ; Eduardo Alberto Tudury

Resumo: “A displasia coxofemoral é uma das doenças ortopédicas mais comuns que acometem os cães de raças de grande porte e seus mestiços. Devido a isto, bem como à necessidade de diagnosticar correta e precocemente a afecção visto que os métodos atuais de diagnóstico permitem a presença de indivíduos portadores da afecção dentro do plantel de criadores e frente à existência de procedimentos cirúrgicos modernos que impedem o desenvolvimento das lesões osteoartrósicas secundárias, foi realizada uma minuciosa revisão da literatura, para estabelecer um roteiro prático e preciso para o diagnóstico, diminuindo com isso a possibilidade de existirem animais portadores da displasia coxofemoral. No presente estudo descrevem-se os sintomas clínicos da doença, os métodos de avaliação clínica e radiográfica, as projeções radiográficas específicas, assim como as alterações osteoarticulares encontradas.”

Unitermos: Displasia coxofemoral, radiologia, doenças dos cães


HOMEOPATIA: Tratamento homeopático de felinos abandonados confinados em gatil acometidos por doenças respiratórias e dermatoses

Autores: Nilson Roberti Benites, Priscila Anne Melville, Aldacilene Souza Silva




Informação adicional

Peso 245 g
Dimensões 28 x 21 x 0.4 cm

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Clínica Veterinária n. 47”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor aguarde...

Inscreva-se na nossa Newsletter!

Você gostaria de manter-se atualizado com os eventos veterinários nacionais e internacionais mais importantes? Digite o seu endereço de e-mail e nome abaixo e receba updates que deveriam estar no calendário de qualquer veterinário!