Promoção!

Clínica Veterinária n. 44

R$ 30,00 R$ 15,00

REPRODUÇÃO: Síndrome do ovário remanescente em cadelas e gatas – revisão
DERMATOLOGIA: Otites e dermatites por Malassezia spp. em cães e gatos
DIAGNÓSTICO POR IMAGEM: Estudo comparativo entre a radiologia e a ultra-sonografia no diagnóstico da piometra canina
CLÍNICA MÉDICA: Anemia hemolítica imunomediada em cão – diagnóstico e tratamento

Edição não consta no acervo digital

Descrição


Artigos científicos presentes na Clínica Veterinária n. 44, maio/junho/2003, ano VIII:

REPRODUÇÃO: Síndrome do ovário remanescente em cadelas e gatas – revisão

Autores: Letícia Patrão de Macedo ; Maria Denise Lopes

Resumo: “A síndrome do ovário remanescente (SOR) é a persistência da atividade ovariana em fêmeas castradas, que apresentam sinais de proestro e estro como fêmeas não castradas (edema de vulva e sangramento vaginal em cadelas, e vocalização em gatas). Essa síndrome não é um estado patológico, mas uma complicação da ovariosalpingohisterectomia. A história e os sinais clínicos auxiliam no diagnóstico da SOR, que pode ser confirmado por 4 métodos: (1) citologia vaginal (2) dosagens hormonais (3) testes de estimulação hormonal, e (4) laparotomia exploratória com biópsia. O tratamento de escolha, bem como o método de diagnóstico definitivo, é a laparotomia exploratória com a excisão do tecido remanescente, e confirmação histopatológica”

Unitermos: Ovário remanescente, cadela, gata


DERMATOLOGIA: Otites e dermatites por Malassezia spp. em cães e gatos

Autores: Mauro Luís S. Machado ; Carin Elisabete Appelt, Laerte Ferreiro, Jacques Guillot

Resumo: As leveduras do gênero Malassezia, integrantes da microbiota cutânea normal de vários animais, apresentam características fisiológicas bem diferenciadas dos outros fungos. As otites e dermatites devidas à Malassezia pachydermatis são freqüentemente associadas a quadros de hipersensibilidade e alterações seborréicas, e sua ação oportunista depende de fatores predisponentes e perpetuantes do hospedeiro. O diagnóstico da Malasseziose é baseado no exame clínico e nos resultados das análises citológicas, culturais e histopatológicas. São usados antifúngicos de uso tópico, sistêmico ou ambos, embora a prevenção das recidivas requeira a identificação e o manejo das causas subjacentes. Urge investigar o papel dos quatro tipos geneticamente distintos de M. pachydermatis isolados de casos clínicos em cães e gatos.

Unitermos: Malassezia spp., cães, gatos, otites, dermatites, diagnóstico, tratamento


DIAGNÓSTICO POR IMAGEM: Estudo comparativo entre a radiologia e a ultra-sonografia no diagnóstico da piometra canina

Autores: Janis Regina Messias Gonzalez ; Annelise Baldacin Salgado, Marcelo Faustino, Masao Iwasaki

Resumo: “A acurácia radiográfica para o diagnóstico da piometra foi avaliada em 51 cadelas selecionadas pelo Serviço de Obstetrícia do Hospital Veterinário da FMVZ-USP, com suspeita de piometra. O exame ultra-sonográfico foi empregado para a confirmação da suspeita. Foram utilizados três tipos de leituras radiográficas: uma com conhecimento dos dados clínicos e duas cegas, realizadas por dois leitores. Os achados de cada leitura foram comparados aos da ultra-sonografia. A sensibilidade e a especificidade encontradas foram: 87,5% e 66,6% na leitura com conhecimento da história 77,1% e 66,6% em leitura cega realizada por radiologista, e 60,4% e 66,6% em leitura cega realizada por não radiologista. O exame radiográfico avaliado por radiologista apresenta boa sensibilidade para o diagnóstico da piometra em cadelas, especialmente quando seus achados são correlacionados aos dados clínicos.”

Unitermos: Radiologia, acurácia, piometra, cadelas


CLÍNICA MÉDICA: Anemia hemolítica imunomediada em cão – diagnóstico e tratamento

Autores: Leonardo P. Brandão ; Mitika Kuribayashi Hagiwara, Maria Luisa Franchini

Resumo: A anemia hemolítica imunomediada é uma doença que se caracteriza pela diminuição do número dos eritrócitos circulantes, decorrente de hemólise intra ou extravascular. Considerada comum em cães, pode ter origem primária, considerada auto-imune, ou secundária a diversas causas, dentre elas as infecciosas, as neoplásicas e a indução por drogas ou alimentos. Os achados clínicos e laboratoriais incluem mucosas hipocoradas, icterícia, colúria, febre, hepato e esplenomegalia, e anemia regenerativa de intensidade variável. O tratamento deve visar o controle da doença primária incitante, como também a correção da anemia por meio de transfusão sangüínea, ao mesmo tempo em que se institui terapia imunossupressora à base de corticosteróides ou outros medicamentos citotóxicos.

Unitermos: Cães, anemia, hemólise, imunomediada




Informação adicional

Peso 210 g
Dimensões 28 x 21 x 0.4 cm

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Clínica Veterinária n. 44”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor aguarde...

Inscreva-se na nossa Newsletter!

Você gostaria de manter-se atualizado com os eventos veterinários nacionais e internacionais mais importantes? Digite o seu endereço de e-mail e nome abaixo e receba updates que deveriam estar no calendário de qualquer veterinário!