Clínica Veterinária n. 125

R$ 40,00

CLÍNICA:  Avaliação da frequência de efeitos colaterais e distúrbios metabólicos em cães tratados com prednisona e deflazacorte
CLÍNICA:
 Fatores pré-analíticos na patologia clínica de animais selvagens
CLÍNICA:  Intoxicação por sementes de pitombeira (Talisia esculenta) em um cão – relato de caso
OFTALMOLOGIA: Biomicroscopia ultrassônica na oftalmologia veterinária – revisão de literatura
DERMATOLOGIA: Dermatofibrose nodular em cão – caso clínico

Descrição


Artigos científicos presentes na Clínica Veterinária n. 125, novembro/dezembro/2016, ano XXI:

CLÍNICA:  Fatores pré-analíticos na patologia clínica de animais selvagens

Autores: Evelyn de Oliveira ; Danieli Brolo Martins; Adelly Caroline Mota; Tiago Jubé de Oliveira; Suelen Lorena da Silva; Thawanne Delefrate Queiroz

Resumo: Os exames laboratoriais exercem importante papel na clínica de animais selvagens, fornecendo informações concernentes ao aspecto fisiológico do paciente. A realização de provas laboratoriais segue um protocolo-padrão, produzindo resultados seguros. Dentro de um ensaio de laboratório, o processamento de amostras biológicas é dividido em três etapas distintas: pré-analítica, analítica e pós-analítica. A fase pré-analítica é a que tem mais chances de apresentar erros, resultando em informações equivocadas. No tocante à patologia clínica de animais selvagens, essa é uma área ainda em crescimento e até mesmo desconhecida por muitos médicos veterinários. Vários são os fatores que antecedem a análise laboratorial e que devem ser padronizados, a fim de obter resultados corretos. Por isso, o objetivo deste trabalho é revisar os principais fatores relacionados à fase pré-analítica do processamento de amostras de animais selvagens na área de laboratório clínico.
Unitermos: ensaio laboratorial, manejo de amostras, fases analí­ticas


CLÍNICA:  Intoxicação por sementes de pitombeira (Talisia esculenta) em um cão – relato de caso

Autores: Thaygo Marçal da Mota ; Aldrin Ederson Vila Nova Silva; Edson Vilela de Melo Filho; Jackson de Oliveira Siqueira; Danyelle Rayssa Cintra Ferreira; Henio Monteiro Groschke; Richelle da Silva Braz; Marcelo Wenstein Teixeira

Resumo: Uma cadela sem raça definida, de cinco anos de idade, deu entrada para atendimento apresentando sintomatologia neurológica aguda caracterizada por ataxia, rigidez muscular de membros torácicos, marcante depressão, letargia, fraqueza, incoordenação, midríase e diminuição bilateral de reflexo pupilar. A paciente foi internada, sendo observada uma evolução do quadro para tetraparesia com sialorreia e prostração após 12 horas. Houve dois episódios de vômito 24 horas após o internamento, evidenciando-se grande quantidade de sementes de Talisia esculenta inteiras e trituradas. A literatura cita casos de intoxicação por ingestão de folhas e frutos da T. esculenta em bovinos e ovinos com sintomatologia semelhante. O objetivo do presente relato é registrar o referido caso, uma vez que não foram encontradas referências abordando tal tema em animais de companhia na literatura consultada.

Unitermos: lectina, talisina, doença tóxica, pitomba


CLÍNICA:  Avaliação da frequência de efeitos colaterais e distúrbios metabólicos em cães tratados com prednisona e deflazacorte

Autores: Viviani De Marco ; Stephanie Frey Lima; Mariana A. P. Di Vincenzo; Mauricio Zago Flocke; Fabio Novelli Martorelli; Ronaldo Lucas

Resumo: Este estudo tem como objetivo avaliar a frequência dos efeitos adversos e metabólicos provocados pelos glicocorticoides na terapia antipruriginosa de cães. Foram estudados dois grupos, sendo: grupo 1, composto de seis cães tratados com prednisona na dose de 0,5 mg/kg a cada 24 horas, durante sete dias; posteriormente, em dias alternados durante uma semana, e depois duas vezes por semana até completar 30 dias de tratamento; e grupo 2, composto de seis cães tratados com deflazacorte na dose de 0,2 mg/kg a cada 72 horas, durante 30 dias. As alterações clínicas e laboratoriais foram evidentes já aos 15 dias em ambos os grupos. No entanto, o deflazacorte promoveu mais alterações metabólicas do que a prednisona com relação a hiperlipidemia, hiperglicemia e elevação de ALT e FA. Após o aumento do intervalo entre as doses de prednisona, as alterações melhoraram, reforçando a importância de protocolos com doses espaçadas nas terapias crônicas.
Unitermos: prurido, glicocorticoides, terapia, hiperlipidemia


OFTALMOLOGIA: Biomicroscopia ultrassônica na oftalmologia veterinária – revisão de literatura

Autores: Juliana de Souza Jorge ; Eduardo Perlmann; Michelle B. Pereira Braga Sá; Angélica de Mendonça Vaz Safatle

Resumo: A biomicroscopia ultrassônica (UBM) ou ultrassonografia de alta frequência (35-100 MHz) é uma ferramenta utilizada na ecografia ocular. Por ter alcance de 4 a 8 mm de profundidade, é capaz de avaliar com maiores detalhes o segmento anterior do bulbo ocular, auxiliando no diagnóstico, no prognóstico e no monitoramento das oftalmopatias. É um exame não invasivo, capaz de individualizar diferentes estruturas do bulbo ocular, tais como córnea, esclera, câmara anterior, íris, corpo ciliar, câmara posterior, ângulo iridocorneano de drenagem e lente. Esta revisão bibliográfica tem por objetivo apresentar o uso da UBM na medicina veterinária de pequenos animais, demonstrando suas vantagens, limitações e indicações na clínica oftalmológica.
Unitermos: pequenos animais, ultrassom ocular, oftalmopatia, glaucoma, córnea, ângulo iridocorneano


DERMATOLOGIA: Dermatofibrose nodular em cão – caso clínico

Autores: Raquel Pavão Ruiz ; José Guilherme Xavier; Silvia Regina Kleeb; Nathalie Fontana Nagase; Emerson Flávio Freitas Mota; Monique Evelyn Martins; Milton Kolber; Aline Finco Perinelli; Paulo Sérgio Salzo

Resumo: A dermatofibrose nodular é uma síndrome em que o aparecimento de nódulos dérmicos fibróticos é associado a uma doença cística renal concomitante e progressiva, que se apresenta em cães de meia-idade a idosos da raça pastor alemão. Supõe-se que para essa síndrome haja base genética. Os principais sinais clínicos são dermatológicos, e incluem pápulas e nódulos nos membros (carpo, tarso, metacarpo e metatarso), dígitos, região cefálica, perilabial e, mais raramente, tronco. Os nódulos são firmes e hiperpigmentados, podendo ser cutâneos ou subcutâneos. Sinais sistêmicos também são observados e relacionados. Há insuficiência renal secundária devido à presença de cistos renais unilaterais ou bilaterais, cistadenoma ou cistadenocarcinoma renal, além de leiomiomas uterinos concomitantes. O diagnóstico é obtido por histopatológico das lesões cutâneas e massa renal. Não existe tratamento efetivo para essa síndrome. O objetivo deste trabalho é relatar um caso de dermatofibrose nodular em um cão macho da raça pastor alemão.
Unitermos: nódulos cutâneos, cistos renais, pastor alemão


Artigos de opinião

Bem-estar animal
• O fim das tradições e a evolução da humanidade

Ensino
• O CONCEA e os métodos alternativos ao uso de animais no ensino

Especialidades
• Medicina felina em evidência

Medicina veterinária do coletivo
• Medicina veterinária do coletivo na Paraíba

Saúde pública
Aedes aegypti e os verdadeiros riscos para os  pets
• Aprovado produto veterinário para tratamento da leishmaniose visceral canina

Medicina veterinária legal
• Neurociência e produção animal

Pet food
• Ingredientes nutricionais para controle da epilepsia
• Cães pequenos com cálculos urinários: apenas uma questão de tamanho de croquete?

Gestão, marketing & estratégia
• Usando o mundo digital
• Tempos de economia




Informação adicional

Peso 338 g
Dimensões 28 x 21 x 0.5 cm

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Clínica Veterinária n. 125”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *