Clínica Veterinária n. 121

R$ 40,00

CIRURGIA: Ingestão de chumbo de pesca em cão – relato de caso
DERMATOLOGIA: Alterações dermatológicas em cães com hiperadrenocorticismo – estudo retrospectivo
MEDICINA VETERINÁRIA LEGAL: Lesões não acidentais em gatos domésticos – estudo de 90 necropsias relativas a traumas produzidos por energia de ordem mecânica
NEUROLOGIA: Avaliação dos achados clínicos e radiográficos em cães com fraturas e luxações vertebrais toracolombares
ONCOLOGIA: Papiloma invertido em um cão – relato de caso

Descrição


Artigos científicos presentes na Clínica Veterinária n. 121, março/abril/2016, ano XXI:

CIRURGIA: Ingestão de chumbo de pesca em cão – relato de caso

Autores: Fabiano Luiz Dulce de Oliveira; Raphael de Castro Bastos

Resumo: Corpos estranhos gástricos são encontrados em cães e gatos de todas as raças e idades. Porém, observando tanto a literatura como a rotina nas clínicas e em hospitais, nota-se que animais jovens ingerem corpos estranhos mais comumente que animais adultos. Além do vômito, poderão ocorrer anorexia, depressão e dor abdominal. A radiografia é um método de exame complementar que na maioria das vezes auxilia a diagnosticar a presença desses objetos. Caso não seja possível a remoção do corpo estranho, a gastrotomia deverá ser indicada. O chumbo é um metal tóxico, extremamente danoso quando absorvido pelo organismo. Este trabalho tem por objetivo relatar o caso de uma cadela SRD, com o histórico de ter ingerido grande quantidade de peças de chumbo utilizadas como peso na pesca amadora. A paciente foi submetida a cirurgia para retirada do material estranho, e não chegou a apresentar sintomas de intoxicação pelo metal.
Unitermos: Canino, corpo estranho, metal, estômago, gastrotomia


DERMATOLOGIA: Alterações dermatológicas em cães com hiperadrenocorticismo – estudo retrospectivo

Autores: Ana Cláudia Balda; Júlio César Beltrami

Resumo: Entre as principais alterações clínicas decorrentes do hipercortisolismo crônico, resultante do hiperadrenocorticismo ou síndrome de Cushing, estão as alterações tegumentares. O presente trabalho teve como objetivo identificar as alterações dermatológicas mais frequentes em 22 cães (dezesseis fêmeas e seis machos com idade média de 10 anos) com hiperadrenocorticismo hipófise-dependente e hiperadrenocorticismo adrenal-dependente atendidos em um Hospital Veterinário Escola de São Paulo, SP, durante um período de 24 meses. As lesões cutâneas foram identificadas em 72,72% dos casos, sendo as alterações mais frequentes relacionadas à presença de crostas melicéricas, alopecia, eritema, comedos, colarinhos epidérmicos, hiperpigmentação, escamas, pústulas e pápulas. As doenças dermatológicas associadas ao hipercortisolismo foram piordermite, demodiciose e calcinose cutânea.
Unitermos: cortisol, Cushing, pele


MEDICINA VETERINÁRIA LEGAL: Lesões não acidentais em gatos domésticos – estudo de 90 necropsias relativas a traumas produzidos por energia de ordem mecânica

Autores: Silvia Elena Campusano Cuevas; Adriana de Siqueira; Fernanda Auciello Salvagni; Paulo César Maiorka

Resumo: O gato doméstico é uma espécie que costuma ser alvo de maus-tratos. Vários estudos demonstram que o gato sofre com dois tipos principais de atos maliciosos: intoxicação intencional por praguicidas e traumas, que podem ser acidentais ou não acidentais. Os traumas mais observados em medicina veterinária são de ordem mecânica, podendo ser causados por diversos instrumentos. Na casuística do Serviço de Patologia Animal da FMVZ-USP, identificaram-se 90 casos de lesões traumáticas em gatos entre 1998 e 2012, dos quais 41,1% eram fêmeas, 27,8% machos e em 31% deles não havia essa informação. Em 67,8% dos casos, os felinos tinham até dois anos de idade. Em 54,4% dos casos, as lesões eram contusas; em 36,7%, perfurocontusas; em 3,3%, perfurocortantes; e em 5,6%, de outros tipos. Nos últimos anos, vem aumentando a demanda por necropsias com fins periciais, e o exame acurado dos traumas é fundamental à elucidação de casos suspeitos de maus-tratos.
Unitermos: medicina veterinária legal, maus-tratos, fraturas


NEUROLOGIA: Avaliação dos achados clínicos e radiográficos em cães com fraturas e luxações vertebrais toracolombares

Autores: Bruno Martins Araújo; Durval Baraúna Junior; Marília de Albuquerque Bonelli; Marcela Maria de Almeida Amorim; Eduardo Alberto Tudury

Resumo: O objetivo deste trabalho foi avaliar os principais achados clínicos e radiográficos em 38 cães com fraturas e luxações vertebrais toracolombares. Trinta e três animais apresentaram fraturas instáveis, e cinco, fraturas estáveis. O exame radiográfico teve 100% de sensibilidade no diagnóstico. No entanto, observou-se uma parcela significativa de animais com lesões vertebrais detectadas no transcirúrgico que não foram visibilizadas no exame radiográfico. Comparando o grau de deslocamento vertebral com o grau de disfunção neurológica e com os resultados da terapia, houve uma diferença estatisticamente significante ao se comparar os graus de deslocamento de 0 a 25% com os de 76 a 100%. O exame radiográfico foi suficiente para diagnosticar fraturas e luxações vertebrais, mas sem permitir a visibilização de todas as alterações ósseas.
Unitermos: sistema nervoso, coluna vertebral, trauma medular, neurorradiologia


ONCOLOGIA: Papiloma invertido em um cão – relato de caso

Autores: Thyara Caroline Weizenmann; Olicies da Cunha; Fabíola Bono Fukushima; Aline de Marco Viott; Rafael Steffens

Resumo: Os papilomas virais cutâneos caninos são causados pelo papilomavírus. A papilomatose é considerada doença de baixa frequência em cães, manifestada pela presença de lesões isoladas ou múltiplas na cavidade oral, no tecido subcutâneo ou na região ocular. As formas oral e facial exofítica são as apresentações mais comuns em cães; no entanto, o papiloma invertido cutâneo é de ocorrência rara. Os papilomas invertidos cutâneos geralmente acometem cães com menos de três anos de idade, ocorrem no abdômen ventral e na virilha e são tipicamente elevados, com um poro central. Não regridem espontaneamente, por isso o tratamento de eleição é a remoção cirúrgica. Este artigo tem por objetivo relatar um caso de papiloma cutâneo invertido associado a papilomas oral e facial em uma cadela SRD, atendida em um Hospital Veterinário Escola.
Unitermos: neoplasias cutâneas, papilomatose canina, terapia


Artigos de opinião

Bem-estar animal
• O futuro dos zoológicos

Saúde pública
• Zooubiquidade, transbiopolítica e medicina translacional
• O papel da Unidade de Vigilância em Zoonoses (UVZ) na integração da saúde com o meio ambiente
• A proibição da eutanásia em cães com leishmaniose

Medicina veterinária do coletivo
• A importância do programa de adoção
• Manejo etológico, segurança profissional, bem-estar animal e controle populacional

Medicina veterinária legal
• Aspectos legais dos abrigos de animais no Brasil

Mercado pet
• Alimento para animais sofre aumento da tributação

Pet food
• A nutrição como aliada no manejo de cães com alterações dermatológicas

Comportamento
• Em busca do day care ideal

Gestão, marketing & estratégia
• Planejamento de clínicas veterinárias eficiente
• Lidando com clientes difíceis




Informação adicional

Peso 328 g
Dimensões 28 x 21 x 0.5 cm

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Clínica Veterinária n. 121”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *