Clínica Veterinária n. 104

R$ 40,00

CLÍNICA: Detecção precoce e quantificação de virus da cinomose por PCR quantitativa em tempo real (qPCR) em diferentes tecidos e fluidos de um cão
DIAGNÓSTICO POR IMAGEM: Elastografia – uma nova tecnologia associada a ultrassonografia
DIAGNÓSTICO POR IMAGEM: Sarcoma de aplicação felina: aspectos do diagnóstico por imagem
ONCOLOGIA: Adenocarcinoma mucinoso duodenal com metástase pulmonar em cão – relato de caso
ONCOLOGIA: Tratamento de um felino com carcinoma cutâneo de células escamosas avançado por meio de quimioterapia intralesional e radioterapia
REPRODUÇÃO: Incubação artificial de ovos provenientes de cágado-pescoço-de-cobra (Hydromedusa tectifera) de vida livre – relato de caso

Descrição


Artigos científicos presentes na Clínica Veterinária n. 104, maio/junho/2013, ano XVIII:

CLÍNICA: Detecção precoce e quantificação de virus da cinomose por PCR quantitativa em tempo real (qPCR) em diferentes tecidos e fluidos de um cão

Autores: Graziela Ribeiro Cunha ; Esther Dias Costa; Aline Baumann da Rocha Gizzi; Marko Estrada; Christian Leutenegger; Mary Marcondes; Simone Tostes Oliveira; Renato Silva de Sousa; Alexander Welker Biondo

Resumo: A cinomose é uma doença de desafio diagnóstico, especialmente quando não há histórico de vacinação. O objetivo deste estudo foi detectar e quantificar partículas virais de cinomose em diferentes fluidos e tecidos biológicos de um cão, determinando o melhor tecido para diagnóstico viral ante mortem na fase de viremia. Atendeu-se um cão adulto com manifestações clínicas inespecíficas e corpúsculos de Sinegaglia Lentz em linfócitos. Amostras post mortem foram submetidas a PCR em tempo real (qPCR), que demonstrou RNA viral em concentrações de (x105) em líquor (1.216), bexiga (1.009), cérebro (605), sangue (572), cerebelo (523), rins (373), fígado (257), pulmões (191), estômago (154), terceira pálpebra (70) e urina (2,1). A técnica de qPCR permitiu confirmar a infecção pelo vírus, descartando vacinação recente. A amostra de líquor mostrou-se representativa para diagnóstico molecular de fase aguda de cinomose no animal estudado.
Unitermos: doença infecciosa, líquor, Sinegaglia Lentz


DIAGNÓSTICO POR IMAGEM: Sarcoma de aplicação felina: aspectos do diagnóstico por imagem

Autores: Karen Maciel Zardo ; Alessandra Sendyk-Grunkraut; Claudia Matsunaga Martín; Ana Carolina B. de C. F. Pinto

Resumo: O sarcoma de aplicação felino é um tumor de origem mesenquimal que pode se desenvolver em região submetida a traumatismo que recebeu implante de microchip ou onde tenha sido previamente aplicada uma injeção. Além de ser localmente invasivo, sua principal característica é a natureza mais agressiva que a de outros sarcomas. O SAF é um desafio para os médicos veterinários, pois tem demonstrado resistência às diferentes abordagens terapêuticas e há diversos relatos de recorrência tumoral. A verdadeira incidência e a etiologia do SAF não estão completamente esclarecidas e continuam sendo objeto de pesquisa. Objetiva-se apresentar uma revisão de literatura sobre os aspectos imaginológicos desse tumor e sobre o modo como essas informações podem fornecer subsídios para a melhor maneira de abordá-lo em termos de diagnóstico, tratamento e monitoração.
Unitermos: gatos, neoplasias, radiologia, tomografia, ultrassonografia


DIAGNÓSTICO POR IMAGEM: Elastografia – uma nova tecnologia associada a ultrassonografia

Autores: Cibele Figueira Carvalho ; Maria Cristina Chammas

Resumo: Desde os primórdios da medicina, a palpação sempre foi um meio semiológico fundamental para detectar anormalidades no exame clínico. Os atributos mecânicos dos tecidos moles estão relacionados às mudanças na sua dureza. Porém, esses e a ecogenicidade dos tecidos nem sempre estão correlacionados. A elastografia surgiu na última década como um método associado à ultrassonografia, capaz de fornecer informações sobre as propriedades acústicas (ecogenicidade e textura) e os atributos mecânicos (dureza) de uma área de interesse relacionada ao tecido adjacente. Este trabalho teve como objetivo realizar uma revisão da literatura sobre os princípios físicos desse método, assim como das diversas formas de processamento da imagem elastográfica, a fim de auxiliar a compreensão dessa nova técnica e suas potenciais aplicações na rotina veterinária.
Unitermos: elasticidade, técnicas de imagem por elasticidade, dureza, tumor


ONCOLOGIA: Estudo retrospectivo (2007-2011) da casuística de cães com mastocitomas cutâneos atentidos em um hospital-escola

Autores: Rafael Ricardo Huppes ; Sofia Borin-Crivellenti; Andrigo Barboza de Nardi; Leandro Zoccoloto Crivellenti; Roberto Andres N. Ampuero; Renée Laufer Amorim; Mirela Tinucci Costa

Resumo: Na maioria das espécies animais, as neoplasias de origem mastocitária são incomuns. Raros são os casos de mastocitoma cutâneo (MC) em seres humanos; no entanto, na espécie canina, é a segunda neoplasia mais diagnosticada, representando aproximadamente 20% dos casos de tumores cutâneos. A faixa etária de maior ocorrência é entre oito a nove anos, podendo ocorrer em animais jovens com até três semanas de idade. Este estudo objetivou descrever as características epidemiológicas, hematológicas e histopatológicas de cães portadores de mastocitoma cutâneo atendidos pelo Serviço de Oncologia Veterinária de um hospital-escola do estado de São Paulo, entre os anos de 2007 e 2011, totalizando 73 pacientes. Foram obtidos os dados referentes a raça, idade, sexo, peso, região cutânea acometida, resultado do hemograma no momento da primeira consulta e graduação histopatológica de cães com diagnóstico da neoplasia.
Unitermos: oncologia, epidemiologia, hemograma, histopatologia


ONCOLOGIA: Tratamento de um felino com carcinoma cutâneo de células escamosas avançado por meio de quimioterapia intralesional e radioterapia

Autores: Simone C. dos Santos Cunha ; Kátia Barão Corgozinho; Paula Gazé Holguin; Luis Alfredo Vidal de Carvalho; Ana Maria Reis Ferreira

Resumo: Um felino portador de carcinoma cutâneo de células escamosas extremamente avançado foi tratado por meio de quimioterapia intralesional e radioterapia. A lesão estava localizada no plano nasal, media 6 x 9 cm e foi classificada como T4N0M0 segundo o sistema de estadiamento da OMS para tumores epidérmicos de felinos. O animal foi submetido a doze frações radioterápicas de 4 Gy, realizadas três vezes por semana por meio de um equipamento de ortovoltagem. A quimioterapia intralesional foi realizada uma vez por semana durante quatro semanas, cerca de trinta minutos antes de uma fração radioterápica, com o objetivo de atuar como um agente radiopotencializador. Ao término do tratamento, houve remissão completa. Os efeitos colaterais do tratamento foram leves e reversíveis. A associação da radioterapia com a quimioterapia intralesional foi considerada eficaz e segura.
Unitermos: gatos, terapia, neoplasias


ONCOLOGIA: Adenocarcinoma mucinoso duodenal com metástase pulmonar em cão – relato de caso

Autores: Lorena Gabriela Rocha Ribeiro ; Silvia de Araújo França; Rogéria Serakides; Natália de Melo Ocarino

Resumo: Os adenocarcinomas intestinais apresentam baixa ocorrência na medicina veterinária e a maioria localiza-se, preferencialmente, no intestino grosso. Os sinais clínicos podem estar ausentes, mas em geral são inespecíficos e incluem apatia, anorexia, vômito e dor abdominal. O presente relato tem por objetivo descrever as características clínicas e patológicas de um adenocarcinoma de duodeno com metástase pulmonar em uma cadela da raça golden retriever de oito anos de idade. O animal apresentou hiporexia, vômitos, diarreia e emagrecimento. O quadro clínico progrediu para anorexia, vômitos persistentes, icterícia, dispneia intensa e estertores pulmonares à auscultação. O óbito ocorreu quatro dias após a internação. Com base nos achados macro e microscópicos, foi firmado o diagnóstico de adenocarcinoma mucinoso duodenal com metástase pulmonar.
Unitermos: canina, oncologia, neoplasia, intestino delgado, mucina


REPRODUÇÃO: Incubação artificial de ovos provenientes de cágado-pescoço-de-cobra (Hydromedusa tectifera) de vida livre – relato de caso

Autores: Rodrigo Volpato ; Ettore Giovanni Leardini; Thyara Caroline Weizenmann; Josiane Gomes; Pamela Thalita Rocha; Eduardo Henrique de Bastiani; Rebeca Bastos Abibe

Resumo: A Hydromedusa tectifera é um cágado encontrado no Sudeste e no Sul do Brasil, estendendo-se a outros países como Uruguai, Paraguai, Argentina e Bolívia. Os quelônios de forma geral apresentam reprodução sazonal e a eclosão dos filhotes se dá em períodos ambientais favoráveis. Para a incubação artificial obter sucesso, é necessário ter cuidados especiais na coleta dos ovos nos ninhos e no posicionamento da incubadora, pois eles não possuem calaza e a formação da câmara de ar acontece algum tempo depois da postura. Essa espécie tem o hábito de desovar longe de recursos hídricos. Durante a procura do melhor local para a desova, é comum que os cágados sofram acidentes como atropelamentos em beira de estradas e capturas. Este relato tem como objetivo demonstrar como se deram a incubação e a eclosão de ovos provenientes da celiotomia de uma H. tectifera encontrada na beira de uma estrada após possível atropelamento.
Unitermos: incubação, ovos, répteis




Informação adicional

Peso 375 g
Dimensões 28 x 21 x 0.5 cm

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Clínica Veterinária n. 104”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *