Do Cinza à Cor

R$ 70,00

Para o idealizador do projeto, Fábio Brito, a obra trata de uma questão importante da nossa sociedade, que atinge cidades de todo o mundo. “Aprendi com eles valores que vão muito além do que eu podia imaginar…”. Para o idealizador do projeto, Fábio Brito, a obra trata de uma questão importante da nossa sociedade, que atinge cidades de todo o mundo. “Aprendi com eles valores que vão muito além do que eu podia imaginar.

Em estoque

Categoria

Descrição


Livro retrata relação de afeto entre carroceiros e moradores de rua com seus animais. Resultado da exposição de mesmo nome, o livro “Do Cinza à Cor” apresenta fotografias em P&B e a transformação dessas cenas em pinturas para despertar a reflexão sobre a importância do amor entre o ser humano e o animal, principalmente no contexto urbano. Muitas vezes, a rotina intensa da vida urbana nos leva à automatização das nossas ações. Tornamo-nos parte de um sistema tão cinza e robotizado que não percebemos o que está acontecendo ao nosso redor, como o calor das cores e dos sentimentos. A obra é resultado de um projeto de quatro anos e traz 30 imagens fotográficas em P&B transformadas em 30 novas pinturas coloridas pelas mãos do artista Marcos Farrell, para demonstrar a existência da emoção nas cores.

O intuito das imagens é estimular a reflexão sobre a condição e a relação recíproca de companheirismo e proteção entre o homem e o animal no contexto dos grandes centros urbanos. Nas fotos foram utilizadas técnicas de captação de longa distância e variação de enquadramentos; enquanto a transição para as telas utiliza tinta nanquim, pintura em acrílico, material reciclado, além de efeitos e ferramentas digitais.

Para o idealizador do projeto, Fábio Brito, a obra trata de uma questão importante da nossa sociedade, que atinge cidades de todo o mundo. “Aprendi com eles valores que vão muito além do que eu podia imaginar. A relação dessas pessoas com seus animais tem como pilares a troca ou transferência de afeto, o sentimento de proteção que muitas vezes apenas pais e amigos têm uns com os outros, além da possibilidade de reaproximação com a sociedade. O animal se torna uma ponte, quebrando barreiras e rótulos que muitos colocam. Essas pessoas deixam de ser invisíveis ou marginalizadas e começam a ser percebidas, voltam a ser humanizadas pela sociedade”, explica o jornalista.

Mesmo com experiência profissional na área de comunicação, sendo mais de 12 anos escrevendo especificamente sobre animais e a relação deles com o ser humano, Brito afirma que esse trabalho trouxe a possibilidade de novos aprendizados. “Posso dizer que cresci como profissional e como cidadão realizando este projeto. Essas pessoas são sofridas, mas muitas querem dividir experiências de vida e dão o melhor que têm para os animais que lhes acompanham. Esses cães e gatos são fundamentais para elas e ninguém deve acabar com essa relação, pois são bem cuidados e o amor é recíproco”, afirma. Para o artista Marcos Farrell, as imagens na cidade têm um olhar poético, transformando uma situação por vezes triste e problemática em uma cena de carinho e sobrevivência entre o ser humano e os animais. “Este foi um tema muito inspirador. Achei de uma sensibilidade muito grande apresentar esta realidade com dois pontos de vista diferentes. Por isso, em muitas cenas usei adereços de materiais reciclados para passar mais naturalismo”, destaca o ilustrador e colaborador Marcos Farrell, que imprime a naturalidade da sua arte nas telas paralelas às fotografias.

O especialista em comportamento animal e curador da exposição, Gilberto Miranda, frisa a importância social de projetos como esse: “Além do tema trazer reflexões importantes para os dias atuais, a emoção contida nas imagens é surpreendente. Muitos cães de rua são relativamente bem cuidados, e, assim como quaisquer animais de estimação, oferecem um apoio vital, de amor incondicional para os desabrigados, que muitas vezes não são percebidos pela sociedade”. Parte das obras da exposição, 32 quadros, foram doados para a ONG Associação Bem-Estar Animal – Amigos da Célia (Abeac), que cuida de mais de 1.100 cães e desenvolve ações para a adoção responsável.

Perfis dos autores

Fábio Brito – É jornalista e fotógrafo. Especializou-se em fotografia em 1997, pelo Centro de Comunicação e Artes do Senac. Formado em jornalismo pela Universidade Paulista e pós-graduado em Gestão Empresarial pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM). Dedica-se em fazer reportagens sobre animais e escreve sobre o assunto há mais de 10 anos. Elaborou matérias para os jornais O Estado de S. Paulo e Diário do Comércio e mantinha uma coluna fixa sobre pets no Jornal da Tarde. Era responsável pelo podcast do Portal Limão, na área pet, fazendo entrevistas com profissionais e dando dicas para os donos de animais. Participou de cursos sobre comportamento e adestramento com especialistas e foi editor de uma revista dedicada ao universo dos bichos, distribuída para mais de 20 mil assinantes, em São Paulo. Atualmente, o jornalista assina o blog Conversa de Bicho, do Portal Estadão (http:\vida-estilo.estadao.com.br/blogs/conversa-de-bicho/), agraciado com Menção Honrosa no Prêmio Estado de Jornalismo de 2011.

Marcos Farrell – Trabalhou por muitos anos com pinturas cenográficas e ilustrações para livros. Atualmente trabalha em seu estúdio para o jornal O Estado de S. Paulo e outras grande editoras do país. Iniciou seu trabalho como ilustrador em 1989, quando teve a oportunidade de aprender técnicas de pintura a guache, óleo, acrílico, bico de pena e aerografia. Hoje desenvolve seu trabalho mesclando as técnicas aprendidas anteriormente com os recursos digitais.

Gilberto Miranda – Pedagogo e conhecido nacionalmente como especialista em comportamento animal, realiza os mais diversos treinamentos com animais. Ministra palestras motivacionais para empresas, executivos e estudantes, sempre associando o comportamento animal ao humano, baseado no livro de sua autoria Os animais vão salvar a sua pele. Desenvolve trabalhos também de assistência em comportamento animal e cuidados especiais para auxiliar criadores, mantenedores de animais silvestres, canis e zoológicos.




Informação adicional

Peso 900 g
Dimensões 30 x 21 x 1.7 cm

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Do Cinza à Cor”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar de…