Publicado em

NOR Science – Neurology, Orthopedics and Rehabilitation

Nos dias 4 e 5 de abril de 2018 acontece a conferência NOR Science – Neurology, Orthopedics & Rehabilitation, em Campinas, SP, durante a Feira Super Pet.

A NOR Science busca integrar o conhecimento da neurologia, da ortopedia e das técnicas de reabilitação animal. Em muitas situações elas precisam estar integradas para a recuperação do paciente. Um exemplo disso é o caso da cadela Andy, que paralisou por hérnia de disco, foi operada e, com a ajuda da fisioterapia veterinária, voltou a andar.

Publicado em

Cuidados paliativos: tema inovador e indispensável na NOR Science

Nos dias 4 e 5 de abril de 2018 acontece a conferência NOR Science – Neurology, Orthopedics & Rehabilitation, em Campinas, SP, durante a Feira Super Pet.

Vinícius Perez dos Santos, MV, pós-graduando em cuidados paliativos pelo Instituto Paliar e pelo Hospital das Clínicas.

Um tema  inovador na abordagem clínica dos pacientes é a aplicação dos cuidados paliativos.

A consciência em aplicá-los está ligada a “não adicionar dias à vida, mas sim vida aos dias”, destaca Vinícius Perez dos Santos, médico veterinário que discorrerá sobre a conduta clínica nos casos em que a aplicação dos cuidados paliativos se fazem necessários.

Vinícius Perez dos Santos é médico veterinário formado pela FMVZ/USP, foi residente no Hospital Veterinário da FMVZ/USP e, atualmente, é pós-graduando em cuidados paliativos pelo Instituto Paliar e pelo Hospital das Clínicas.

 

 

Publicado em

NOR Science e a utilização de células-tronco na reabilitação de cães e gatos

Nos dias 4 e 5 de abril de 2018 acontece a conferência NOR Science – Neurology, Orthopedics & Rehabilitation, em Campinas, SP, durante a Feira Super Pet.

A utilização de células-tronco na reabilitação de cães e gatos está presente na programação é será abordado pelo prof. dr. Jean Guilherme Fernandes Joaquim, coordenador científico do Instituto Bioethicus.

As células-tronco mesenquimais (CTMs)  são células  indiferenciadas que podem ser isoladas de diferentes tecidos, mas primariamente do estroma da medula óssea, e dão origem a tecidos conjuntivos, como ossos, cartilagens, gordura, bem como o sistema vascular e hematopoiético. Descobertas científicas têm demonstrado o potencial de aplicação terapêutico das  CTMs em enfermidades complexas ou lesões de difícil reparação, como as do sistema nervoso, em virtude das suas propriedades  regenerativas, antiinflamatórias e imunomoduladoras. Entretanto, é importante ressaltar que algumas dificuldades ainda são encontradas para o implante das CTMs no sistema nervoso central e periférico, particularmente em relação a forma de aplicação das células no foco de lesão. Sendo assim, a aplicação  guiada das CTMs com ultrassom se mostra uma alternativa viável para o sistema nervoso periférico, visto que é de fácil aplicação e baixo custo relativo. O ultrassom é eficiente na identificação de alterações dos nervos periféricos, para guiar procedimentos como biópsias e mais recentemente na medicina veterinária, para auxiliar na terapia celular.

Publicado em

Técnicas de reabilitação em cães e gatos com traumatismos de coluna na NOR Science

Nos dias 4 e 5 de abril de 2018 acontece a conferência NOR Science – Neurology, Orthopedics & Rehabilitation, em Campinas, SP, durante a Feira

Super Pet.

Técnicas de reabilitação em cães e gatos com traumatismos de coluna é um importante tema presente na NOR Science que será abordado por Ricardo Lopes, proprietário e diretor da Fisio Care Pet e sócio diretor da Rede Pet Fisio.

A NOR Science busca integrar o conhecimento da neurologia, da ortopedia e das técnicas de reabilitação animal. Em muitas situações elas precisam estar integradas para a recuperação do paciente. Um exemplo disso é o caso da cadela Andy, que paralisou por hérnia de disco, foi operada e, com a ajuda da fisioterapia veterinária, voltou a andar.

Publicado em

Órteses e próteses em cães e gatos: tema inovador na NOR Science

É muito importante estar a par da reputação e experiência da empresa especializada em órteses e próteses veterinárias da qual deseja adquirir um produto para algum paciente. Mônica Veras, da OrthoPets Brasil, destaca que é fundamental garantir uma solução adequada e correta do ponto de vista “biomecânico” do paciente veterinário – e não do paciente humano. “Sem o conhecimento de “biomecânica” animal, nenhuma empresa está apta a confeccionar órteses ou próteses”, enfatiza Mônica Veras.

Mônica Veras explica que a empresa fabricante deve oferecer aparelhos que assegurem um design bio-mecanicamente compatível com a patologia apresentada pelo paciente para que os objetivos e resultados traçados pelo médico veterinário sejam alcançados. A saúde, bem-estar, e recuperação do paciente especial dependem disso.

Um profissional especializado em reabilitação animal deverá estar diretamente envolvido no caso. Órteses e próteses (membros artificiais) não trazem resultados por si só. O período de acompanhamento pós-entrega do aparelho é crucial para a adaptação dos pacientes.

Detalhes sobre órteses e próteses para cães e gatos serão apresentados na NOR Science por Mônica Veras, médica veterinária que, em 2008, diplomou-se mestre em fisioterapia animal pela Universidade de Knoxville, Tenesse (EUA). Mônica Veras está envolvida ativamente na educação continuada na área de fisioterapia animal e regularmente dá palestras e realiza oficinas sobre fisioterapia animal e hidroterapia para fisioterapeutas, veterinários e enfermeiros veterinários. Tem profundo interesse na aplicação de órteses e próteses para o tratamento de pequenos animais, além do uso da hidroterapia.

Publicado em

Fisioterapia veterinária – 6º Congresso Paulista das Especialidades

Fisioterapia veterinária no CONPAVET 2016
Fisioterapia veterinária no CONPAVET 2016

6º Congresso Paulista das Especialidades 2016 – 14º CONPAVET

De 30 de agosto à 01 de setembro de 2016
Expo Center Norte – São Paulo – Brasil

Congresso Paulista das Especialidades

O Congresso Paulista das Especialidades, organizado pela Sociedade Paulista de Medicina Veterinária (SPMV), responsável por oferecer aos participantes um congresso com conteúdo altamente qualificado sobre diversas especialidades, que hoje integram a medicina veterinária.

A visitação da Pet South America é composta por um público qualificado de médicos veterinários, proprietários de pet shops e clinicas veterinárias, groomers, criadores e distribuidores.

Destaques

  • A 14ª edição apresentou mais de 320 marcas nacionais e internacionais em exposição e contou com a presença de mais de 20.000 profissionais altamente qualificados.
  • Presença das principais mídias do setor
  • A Pet South America 2015 conta com a parceria do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP )
  • Arena Do Conhecimento, Prêmio Pet South America “Bem Estar Animal” Projeto Informa, Forma e Transforma

Palestras de Fisioterapia Veterinária:

• 09h35 – 10h25 – Ele é cardiopata. Posso fazer fisioterapia? – MV. Luana Pavani

• 10h40 – 11h30 – Hidrocinésio para o paciente neurológico – MV. Claudia Lameirinha

• 11h35 – 12h25 – Idoso sim, velho não – MV. MSc. Claudio Ronaldo Pedro

Não fique de fora, faça parte deste importante congresso e inscreva-se já!

Artigo em destaque:

Polimiosite por Neospora caninum em um filhote de golden retriever – relato de caso
A neosporose é uma doença causada pelo protozoário Neospora caninum, que pode causar sinais neurológicos e óbito em cães, sendo pouco relatada no Brasil. O objetivo do presente trabalho foi descrever essa doença em um filhote de cão macho da raça golden retriever que apresentava dificuldade de locomoção, dor e espasticidade em membros pélvicos. O resultado do sorodiagnóstico (IFI-IgG) foi positivo para neospora (título de 6.400). A presença de sinais clínicos associada ao alto título sorológico permitiu o diagnóstico presuntivo de neosporose. Instituiu-se terapia antimicrobiana com sulfametoxazol associado a trimetropina e pirimetamina por 120 dias. O animal foi acompanhado e, durante esse mesmo período, submetido a sessões de fisioterapia. Houve melhora parcial do quadro, permanecendo a contratura muscular. Em cães jovens com rigidez extensora e contratura dos membros pélvicos, essa doença deve ser considerada um diagnóstico diferencial.
Autores: Gabriel Antonio Covino Diamante; Roberta Lemos Freire; Mônica Vicky Bahr Arias.

Instruções ao autores para envio de artigos científicos: clique aqui